Geopolítica marca sessão bolsista na Europa, PSI 20 não foge à regra

Em Lisboa, o índice bolsista nacional recua 0,38%, para 5.620,73 pontos. Grupo Sonae lidera perdas, quando também a "banca está hoje no foco dos investidores".

Stringer/Reuters

O principal índice bolsista nacional, PSI 20, recua 0,38%, para 5.620,73 pontos, em linha com restante Europa e numa sessão marcada por matéria geopolítica.

Em Lisboa, o grupo Sonae lidera as perdas, após a divulgação dos resultados do primeiro semestre do ano da participada Sonae Sierra. A empresa revelou na quinta-feira, após o fecho do mercado, um resultado líquido de 58,9 milhões de euros, contra os 64,2 milhões registados em igual período do ano passado. A diferença representa uma diminuição de 8% no lucro da empresa.

A Sonae Capital afunda 1,81%, para 0,87 euros, e a Sonae tomba 1,15%, para 0,98 euros.

A perder estão também as papeleiras Semapa e Navigator e o BCP.

O banco agora liderado por Miguel Maya recua num momento em que o “Finanial Times” indica que o Banco Central Europeu estará preocupado com a exposição dos bancos BBVA, UniCredit e BNP Paribas. “A banca está hoje no foco dos investidores”, analisa o Mtrader do Millennium BCP, Ramiro Loureiro.

Em contraciclo, destacam-se os títulos da F. Ramada, Altri, Ibersol, NOS e Mota-Engil.

Entre as principais praças europeias, o conflito entre EUA e China, as sanções de Trump à Rússia e a instabilidade da economia turca travam o optimismo nos mercados.  “Os investidores estão de olho no que Erdogan tem a dizer sobre a relação com os EUA”, alerta o analista do BCP.

Por ora, o alemão DAX afunda 2,02%, o britânico FTSE 100 cai 0,86%, o francês CAC perde 1,48%, o holandês AEX recua 1,55%, o espanhol IBEX 35 desvaloriza 1,61% e o italiano FTSE MIB tomba 2,17%.

No mercado petrolífero, o Brent é negociado a 72,60 dólares, valorizando 0,74%, e o WTI soma 0,73%, para 67,30 dólares.

Entre as divisas, o euro perde face ao dólar 0,62%, para 1,14 dólares.