GNR encontrou mais de 400 condutores em excesso de velocidade só na quarta-feira

A Guarda Nacional Republicana adianta que fiscalizou anteontem diversos peões e 3.487 condutores, tendo detetado, em 24 horas, 1.200 infrações em estradas nacionais, municipais e arruamentos no interior de localidades de todo o país.

A Guarda Nacional Republicana (GNR) detetou na quarta-feira 1.200 infrações, 431 das quais por excesso de velocidade e 343 por estacionamento indevido, no âmbito da operação de trânsito e segurança rodoviária “Peão em Segurança”.

Em comunicado, a GNR adianta que fiscalizou na quarta-feira diversos peões e 3.487 condutores, tendo detetado, em 24 horas, 1.200 infrações em estradas nacionais, municipais e arruamentos no interior de localidades de todo o país.

Das 1.200 infrações detetadas, 431 deveram-se a excessos de velocidade, 343 por estacionamento indevido nos passeios e em outros locais destinados ao trânsito de peões, obrigando-os a circular pela via, e 104 por estacionamento a menos de cinco metros ou em passagem assinalada para travessia de peões.

A GNR detetou também 53 infrações por utilização indevida do telemóvel durante a condução, 23 condutores com excesso de álcool, dos quais seis foram detidos por possuírem uma taxa de álcool no sangue igual ou superior a 1,2 g/l.

Na nota, a GNR destaca ainda 17 infrações por desrespeito à sinalização luminosa, a deteção de 15 peões a fazerem o atravessamento incorreto na faixa de rodagem e sete automobilistas por não moderação da velocidade na aproximação às passadeiras.

Na Operação “Peão em Segurança”, a GNR realizou “ações de fiscalização e sensibilização, com o objetivo de contribuir para a melhoria das condições de segurança e mobilidade dos peões, incutir comportamentos mais seguros por parte de todos os utentes e prevenir a ocorrência de acidentes de viação por atropelamento”

Ler mais
Recomendadas

Saiba que cuidados deve ter ao organizar as suas férias (parte 3)

Verifique se o contrato inclui as informações referidas no programa de viagens e ainda os serviços pagos pelo cliente, de forma facultativa, bem como todas as exigências específicas acordadas entre cliente e agência.

Portugueses estão a pedir mais empréstimos para pagar contas. Pedem em média 2.239 euros

Para pagar as suas contas, os portugueses estão a aumentar os empréstimos. Nos últimos seis meses pediram 2.239 euros, mais 400 euros face ao período homólogo. Estudo da Intrum conclui, tal como o Banco de Portugal, que o aumento foi suportado pelo crescimento dos créditos pessoais sem fins específicos.

Bankinter lança Crédito Multilinha para Empresas

O banco quer dar às empresas maior flexibilidade e rapidez, e permitir aceder de forma simplificada ao crédito, “de forma a responder às suas necessidades correntes de tesouraria e de financiamento futuro”.
Comentários