Goldenergy admite baixar preços da luz para clientes que voltem ao mercado regulado

O fornecedor de eletricidade do mercado liberalizado anunciou esta sexta-feira que considera importante “ir ao encontro da decisão aprovada este ano pelo Parlamento”.

A Goldenergy admitiu esta sexta-feira baixar os preços das tarifas da eletricidade para os clientes que voltem ao mercado regulado a partir do próximo dia 1 de janeiro de 2018. “Os preços que pratica podem descer para o universo de clientes da operadora que optem pelo regresso à tarifa equiparada ao mercado regulado”, explicou a operadora, em comunicado enviado esta manhã às redações.

A energética adianta que poderá reduzir as tarifas a partir do início do ano para os clientes que optem por aderir aos seus serviços. “O mercado é livre, as pessoas podem mudar de operador as vezes que quiserem com a frequência que entenderem. A escolha pela Goldenergy no quadro de um mercado liberalizado não significa apenas tarifas mais baixas e mais competitivas, que oferecem o melhor preço e as melhores condições”, afirmou o presidente da Goldenergy, Nuno Moreira.

A decisão da Goldenergy surge na sequência das notícias sobre aumentos de preços na eletricidade para os clientes do mercado livre. A empresa explica ainda que “considera importante ir ao encontro da decisão aprovada este ano pelo Parlamento, de possibilitar às famílias que mudaram para o mercado livre de eletricidade possam regressar aos valores de tarifa praticados pelo regime regulado”.

Respostas Rápidas: Afinal, o que vai acontecer aos preços da luz?

Relacionadas

Deco alerta para necessidade de comparar várias componentes da fatura da luz

“É preciso distinguir o mercado regulado, que vai ter uma descida de preços, que foi anunciada, e onde as tarifas são totalmente reguladas pela ERSE (entidade reguladora), do mercado livre, onde os comercializadores têm a liberdade para estabelecer os preços”, explicou a jurista Carolina Gouveia.

Insatisfeito com aumento da EDP? Clientes têm “direito de escolha”, recorda ERSE

O regulador esclarece que apenas fixa as tarifas para o mercado regulado, que vão ter uma redução de 0,2% em 2018, e que no mercado livre, “os comercializadores só incorporam no preço as Tarifas de Acesso às Redes fixadas pela ERSE que, em 2018, se reduziram em -4,4%”.
Recomendadas

S&P sobe rating da REN para dois níveis acima de lixo

O rating da empresa liderada por Rodrigo Costa está ainda um nível acima da classificação que a S&P atribuiu à dívida soberana portuguesa (BBB-).

Respostas Rápidas: Quem é Paul Singer, o novo acionista da EDP?

Paul Singer adora comprar ativos problemáticos. Ganhou o gosto no final dos anos 70 quando constituiu o fundo para gerir o património da família. Já ganhou e perdeu milhões em todo o mundo, incluindo Portugal.

Glovo celebra primeiro aniversário com entregas a 1 euro

A startup espanhola celebra o seu primeiro ano de atividade, e como recompensa, todas as entregas de restaurantes realizadas durante esse dia terão um custo de 1 euro.
Comentários