Gomes da Silva eleito melhor CEO do ano na relação com os investidores

O prémio foi atribuído ao presidente da Galp na gala anual dos IRG Awards, promovida pela Deloitte há 31 anos e apoiada pela Forbes, e que decorreu na noite de ontem no Convento do Beato, em Lisboa.

Cristina Bernardo

O presidente executivo da Galp, Carlos Gomes da Silva, foi eleito o melhor CEO português do ano na relação com os investidores, pela Deloitte e Forbes.

Também Otelo Ruivo, responsável pela equipa de relação com os investidores, foi distinguido como o melhor Investor Relations Officer (IRO) do ano das cotadas portuguesas, diz a petrolífera em comunicado.

“A Galp está cotada na Euronext Lisbon desde 23 de outubro de 2006 e procura focar a sua atuação na criação de valor sustentável de longo prazo para todos os stakeholders. Hoje, a Galp é a empresa com maior valor em bolsa da praça lisboeta e um dos títulos mais transacionados e de maior peso no PSI-20, o índice de referência português”, contextualiza a empresa.

A Galp tem hoje cerca de 60% do seu capital disperso em bolsa e um acionista de referência de raiz portuguesa, a Amorim Energia. O free float da empresa está disperso por 36 países, com especial concentração em investidores institucionais localizados no Reino Unido, Estados Unidos da América, e Canadá, o que reflete a confiança e aposta dos investidores internacionais na estratégia e no modelo de governo da Galp.

“A Galp tem vindo a internacionalizar o seu negócio, mas também a diversificar a sua base de investidores,” afirma Carlos Gomes da Silva na nota. “Esta presença no mercado está bem patente no nosso dia-a-dia, na cultura da nossa organização e na nossa postura perante o mercado de capitais., acrescenta.

O Investor Relations & Governance Awards (IRG Awards) é uma iniciativa da Deloitte que pretende premiar os agentes do mercado financeiro e empresarial português. “Esta iniciativa distingue os melhores desempenhos e sublinha as políticas e atitudes de transparência e qualidade, na produção de informação e nas relações com investidores”, diz o comunicado.

Ler mais
Recomendadas

Uma mudança civilizacional

Toda a economia se baseia na manipulação das pessoas, mas a enorme capacidade da Internet para modelar condutas multiplica os seus riscos.

Timor-Leste leva disputa com petrolífera Oilex à Câmara de Comércio Internacional

“É dececionante que tenha decidido procurar a arbitragem neste momento. O consórcio tinha vindo e continua a negociar de boa fé, tendo feito anteriormente ofertas generosas para resolver o assunto”, disse Joe Salomon, diretor executivo da Oilex.

Compensa comprar produtos nacionais?

A resposta é ‘sim’ se se pensar em termos da economia nacional e ‘depende’ se a opção for pelo preço. Mas os portugueses parecem estar cada vez mais preocupados em consumir o que é português.
Comentários