Google responde às acusações de assédio sexual e promete mudar políticas

O comunicado vem no seguimento do despedimento de 48 funcionários acusados de assédio sexual no trabalho, após o ”New York Times” ter avançado que a empresa tecnológica tinha abafado alguns casos.

Medium

O CEO da Google, Sundar Pichai enviou esta quinta-feira, aos colaboradores da gigante tecnológica um comunicado sobre as mudanças nas políticas de assédio sexual e má conduta no trabalho. Este documento vem no seguimento do despedimento de 48 funcionários acusados de assédio sexual no trabalho, após o “New York Times” ter avançado que a empresa tecnológica tinha abafado alguns casos.

”Temos de continuar a fazer progressos nesta área e comprometemo-nos em fazê-lo”, escreveu o dirigente da empresa no comunicado.

No novo plano de mudanças, o CEO sublinha a necessidade de haver mais transparência durante as investigações de assédio e má conduta sexual, tal como consta no relatório anual de investigações. Promete renovar os canais de denúncia de incidentes de má conduta, melhorar a formação relativamente ao assédio sexual no trabalho entre os colaboradores e tornar opcional o método de resolução de conflitos após uma denúncia de assédio sexual.

Esta última foi tornada como opcional pois, segundo os funcionários da Google, era uma uma prática que impedia que os funcionários levassem os casos a tribunal, e é geralmente considerada como uma forma de suprimir histórias das vítimas, e por sua vez a cobertura dos media.

Eis o comunicado em inglês na íntegra:

Google Commitments on Sexua… by on Scribd

Ler mais
Relacionadas

Google despede 48 funcionários por assédio sexual

Após o ”New York Times” ter avançado que a empresa tecnológica tinha abafado alguns casos, Sundar Pichai revelou ter demitido 48 funcionários, 13 deles eram ”funcionários de alto cargo”.

Executivo da Alphabet demite-se por acusações de assédio sexual

Richard DeVaul, diretor executivo do laboratório de investigação da Alphabet, a X, pediu demissão da empresa depois de ser acusado de assédio sexual num artigo do ”New York Times”, publicado na semana passada. DeVaul é um dos 48 funcionários que abandonou a Google este mês por má conduta no trabalho.

Resultados da Alphabet abaixo do estimado

A gigante tecnológica Alphabet, que detém a Google e Youtube, registou receitas abaixo do esperado pelos analistas.
Recomendadas

Barragem do Fridão: Marques Mendes diz que Governo não vai avançar com construção

O comentador revelou que o Governo vai travar o projeto, contudo falta saber como indemnizar a EDP.

Uber pode comprar rival saudita Careem Networks por 2,6 mil milhões de euros

A Uber quer entrar em bolsa com uma valorização de 106 mil milhões de euros e isso inclui a aquisição da saudita Careem Networks, por 2,6 mil milhões de euros.

Huawei: Bruxelas pede informação aos estados-membros sobre telecomunicações, contornando “pressão” dos EUA

O pedido da UE consiste numa avaliação rápida de cada Estado-membro às suas redes e sistemas de telecomunicações, sobretudo as que já têm propriedades 5G, para detetar as áreas de maior risco. Esta é uma medida não-vinculativa que contrasta com a ação endurecida de Washintgon.
Comentários