Governo avança com processo para criação de nova Estratégia Nacional para o Mar

“Foi exatamente uma das decisões tomadas na última CIAM [Comissão Interministerial para os Assuntos do Mar] realizada em outubro, o processo que levará à criação de uma nova Estratégia Nacional para o Mar”, disse Ana Paula Vitorino.

Cristina Bernardo

A ministra do Mar, Ana Paula Vitorino, anunciou hoje, no parlamento, que o Governo já avançou com o processo para a criação de uma nova Estratégia Nacional para o Mar.

“Foi exatamente uma das decisões tomadas na última CIAM [Comissão Interministerial para os Assuntos do Mar] realizada em outubro, o processo que levará à criação de uma nova Estratégia Nacional para o Mar”, disse Ana Paula Vitorino, durante uma audição parlamentar conjunta entre a Comissão de Agricultura e Mar e a Comissão de Orçamento, Finanças e Modernização Administrativa.

Apesar de não avançar mais detalhes, a governante indicou que, neste âmbito, está a ser preparada uma listagem de temas sob os quais serão desenvolvidos ‘workshops’.

“É um processo já em curso”, concluiu.

A Estratégia Nacional para o Mar, em vigor até 2020, define um modelo de desenvolvimento do oceano e das zonas costeiras, com o objetivo de permitir que Portugal responda aos desafios para a promoção e competitividade da economia do mar.

Recomendadas

PpDM apela aos deputados que aprovem proposta de alteração da Lei da Paridade

Plataforma Portuguesa para os Direitos das Mulheres enaltece as medidas incluídas na proposta de lei que vai ser hoje discutida e votada na especialidade. “O Parlamento pode marcar a diferença na nossa democracia representativa”, sublinha a associação.

Vogal do BE na freguesia do Areeiro passa a independente e denuncia atentado à liberdade de expressão

Luís Moreira, vogal do BE na Assembleia de Freguesia do Areeiro, Lisboa, recusou assinar documento de renúncia do mandato por causa de “duas anedotas” publicadas no Facebook. O BE retirou-lhe a confiança política, mas Moreira permanece no cargo como independente.

PCP e BE insistem na reversão da privatização dos CTT enquanto o Governo planeia rever contrato de concessão

Comunistas e bloquistas voltam à carga no Parlamento para recuperar o controlo público dos CTT, através de diferentes iniciativas, desta vez com o apoio público de alguns setores do PS. No entanto, o Governo estará mais inclinado para uma revisão do contrato de concessão do serviço postal universal, introduzindo regras mais apertadas.
Comentários