Governo cria bolsa de inspetores veterinários

Bolsa será constituída por veterinários voluntários que assumirão a qualidade de veterinários oficiais e irão proceder à inspeção sanitária durante fins-de-semana e feriados, em estabelecimentos de abate e preparação de carnes destinadas ao consumo.

Ler mais

O Governo criou uma bolsa de inspetores veterinários com o objetivo de assegurar o funcionamento da inspeção veterinária oficial nos matadouros sem interrupções, dando assim cumprimento ao programa, na área da sanidade animal.

De acordo com o despacho já publicado, esta bolsa será constituída por veterinários voluntários que assumirão a qualidade de veterinários oficiais e irão proceder à inspeção sanitária durante fins-de-semana e feriados, em estabelecimentos de abate e preparação de carnes destinadas ao consumo.

Segundo o Executivo, a realização deste controlo “é condição indispensável para o funcionamento destes estabelecimentos”.

Com esta medida, o Governo dá conta que vai assegurar a existência de um serviço complementar, que, diz,”dê resposta a aumentos episódicos e súbitos de laboração nos matadouros, uma vez que o abastecimento do mercado com carnes de animais abatidos em Portugal é influenciado pela sazonalidade, por oportunidades de negócio e dinâmicas comerciais que não obedecem a ciclos de produção regulares ou planificáveis”.

Estas necessidades pontuais têm sido asseguradas em regime de exceção pela própria Direção Geral de Alimentação e Veterinária (DGAV), que não dispõe de um corpo de inspetores oficiais específico para estas situações.

A bolsa é de acesso público, estando aberta à manifestação de interesse por parte de todas as pessoas habilitadas para o exercício da função, excluindo, no entanto, as que detém uma relação jurídica de emprego público. As inscrições podem ser feitas através de formulários específicos disponíveis no site da DGAV.

Relacionadas

Veterinários querem integrar Proteção Civil e atuar em incêndios, sismos ou cheias

“O Governo não tinha condições porque também não tinha nada preparado em junho para fazer face a uma situação de catástrofe. Infelizmente, quando o país voltou a arder, em outubro, continuava a não ter nada preparado”, disse o bastonário da Ordem desta classe profissional, Jorge Cid.

Tem animais? Saiba o que pode (ou não) incluir no IRS

Pode receber até 250€ com as despesas dos seus animais de estimação. Veja o que pode (ou não) incluir nas despesas do IRS.

“O esmagamento das margens e a redução acentuada do preço do medicamento levou a repensar a política comercial”

A Farmadeira atua no setor do comércio por grosso de produtos farmacêuticos e surgiu para colmatar as dificuldades que as farmácias da Madeira tinham no abastecimento dos produtos para o seu normal funcionamento.
Recomendadas

Preços da habitação aumentam 11,2% no segundo trimestre

Apesar da subida, os dados do INE revelaram uma interrupção da aceleração dos preços, que tinha sido consecutiva durante os cinco trimestres anteriores.

Défice do primeiro semestre fixou-se em 1,9%

Dados revelados pelo INE esta sexta-feira revelam melhoria face aos primeiros seis meses de 2017, no qual o saldo global das Administrações Públicas (AP) se tinha fixado em 6,1%, devido ao impacto da recapitalização da CGD.

Já não há dúvidas. INE confirma pela segunda vez que CGD entra no défice de 2017

A confirmação foi dada pelo Instituto Nacional de Estatísticas (INE), que enviou esta sexta-feira para o Eurostat a segunda notificação anual no âmbito dos Procedimento dos Défices Excessivos (PDE).
Comentários