Governo da Madeira concede benefícios fiscais a projeto tecnológico do Grupo Sousa Serviços Globais

Em causa está um projecto na área dos serviços informáticos com “prestação de serviços de elevada intensidade tecnológica”, explica uma resolução publicada em jornal oficial. O executivo vai conceder um crédito de imposto sobre o IRC.

O Governo da Madeira decidiu atribuir benefícios fiscais a um projeto do Grupo Sousa Serviços globais Lda, alegando que este representa “especial interesse” para a economia regional, de acordo com a resolução publicada em diário oficial na passada segunda-feira.

A resolução explica que está em causa um projeto na área dos serviços informáticos com prestação de serviços de “elevada intensidade tecnológica”, com recursos humanos “qualificados e relevante investimento na formação” dos mesmos e com adaptação da sua “estrutura produtiva à prestação” destes novos serviços, que beneficia deste incentivo fiscal.

O executivo, refere a resolução, vai atribuir “um crédito de imposto sobre o rendimento das pessoas coletivas (IRC)”, para a atividade desenvolvida no âmbito do projeto.

É ainda salientado pelo Governo Regional o investimento produtivo “é essencial ao desenvolvimento” e que o projeto apresentado pelo Grupo Sousa Serviços Globais, Lda., reúne “as condições necessárias” para a concessão dos benefícios fiscais, que estão previstos do código fiscal do investimento.

Recomendadas

PSD desafia Costa a utilizar remodelação para dar celeridade a dossiers relacionadas com a Madeira

A remodelação governativa no governo central deve ser utilizada pelo primeiro-ministro para fazer um ponto de situação sobre os assuntos pendentes com a Madeira em vez de adia-los ou usa-los como arma de arremesso política, diz o PSD Madeira.

PTP discorda de Projeto de Requalificação Urbana de São Vicente

Quintino Costa considera que a Madeira tem de apostar em lares de idosos, visto que diz ter uma população envelhecida, e não “em obras para o mar levar”.

SEF inspeciona 16 unidades hoteleiras na Madeira

As 16 unidades inspecionadas foram nos concelhos de Câmara de Lobos, Calheta e Machico.
Comentários