Governo de Cabo Verde cria Instituto do Turismo

O decreto-lei que estabelece a criação desta entidade, com sede na ilha do Sal, foi aprovado em Conselho de Ministros.

O Instituto do Turismo de Cabo Verde, anunciado pelo primeiro-ministro cabo-verdiano num debate mensal no parlamento, terá sede na cidade de Santa Maria, na ilha do Sal. O decreto-lei que cria o Instituto do Turismo foi aprovado no Conselho de Ministros na última quinta-feira.

Segundo o porta-voz da reunião do Conselho de Ministros, o secretário de Estado para Inovação e Formação Profissional, Pedro Lopes, com esta ‘luz verde’, a Direção-Geral do Turismo será transformada num instituto que tenha autonomia e que possa regular, fiscalizar as atividades turísticas e promover a marca Cabo Verde e incentivar o investimento no setor.

O governo espera também que este instituto ajude a atingir a meta 21 mil turistas até 2021 e consecutivamente o crescimento do país. De acordo com Pedro Lopes, o instituto entrará em funcionamento dentro em breve, mas estabeleceu-se um período de 24 meses para a construção e instalação de uma sede com condições para que ele possa.

Quanto à localização, na ilha mais turística deste país africano, mostra que, apesar de ser composto por dez ilhas, o executivo pensa “num país de forma uniforme e reconhecemos a importância do turismo”, considerou o secretário de Estado para Inovação e Formação Profissional.

O Instituto de Turismo de Cabo Verde terá ainda duas delegações, uma em São Vicente, para cobrir as ilhas do norte, e outra na Praia, para cobrir as ilhas do sul. Além do Instituto do Turismo, o governo cabo-verdiano aprovou o decreto-lei que regula composição e funcionamento do Conselho Nacional de Emprego e Formação Profissional e aprovou o Plano Nacional de Emprego.

Recomendadas

Isabel dos Santos diz que Angola vive em “instabilidade”

“Estão a viver-se momentos difíceis, não há dúvida. Estamos a viver momentos de grandes dúvidas e o que é fundamental e importante é que se respeite o Estado de Direito. É muito importante que se respeitem as leis, é muito importante que não haja atropelos entre os três poderes, que as pessoas tenham confiança na Justiça”, diz empresária angolana.

Isabel dos Santos diz que não usa dinheiro público angolano para investir

“Trabalho com bancos em Cabo Verde, com bancos em outros países africanos, bancos que nos apoiam, que acreditam nos projetos, que acreditam na validade dos projetos que nós propomos. Portanto, tenho muitas dívidas”, afirma a empresária angolana.

Capital da CV Telecom vai ser dispersado em 2020

O ministro das Finanças de Cabo Verde, Olavo Correia, anunciou esta sexta-feira na conferência da Lusa que em 2020 o capital da CV Telecom será dispersado em bolsa, através de convite a empresas estrangeiras.
Comentários