Governo de Cabo Verde organiza evento em Paris para mobilizar financiamento

Segundo o ministro das Finanças, Olavo Correia, Cabo Verde quer mobilizar, durante o encontro, os parceiros públicos e privados para esta nova fase em que se pretende transformar as ilhas numa plataforma de prestação de serviços em que o setor privado tem um papel importante.

A “Mesa Redonda” de Cabo Verde, em Paris, para mobilização de financiamento será nos dias 11 e 12 de dezembro. Segundo o vice-primeiro-ministro e ministro das Finanças cabo verdiano, Olavo Correia, Cabo Verde quer mobilizar, durante o encontro, os parceiros públicos e privados para esta nova fase em que se pretende transformar as ilhas numa plataforma de prestação de serviços em que o setor privado tem um papel importante.

Olavo Correia reuniu esta segunda-feira com os membros conselho consultivo desta conferência internacional de Cabo Verde na capital de França, constituído por parceiros do desenvolvimento e organizações da sociedade civil nacionais.

O objetivo do encontro, que se realizou na Cidade da Praia, foi dar a conhecer os passos dados para a conferência de Paris e as metas traçadas pelo do governo no sentido de desenvolver novas parcerias técnicas e financeiras com parceiros de desenvolvimento e investidores internacionais e encontrar, modalidades inovadoras de financiamento.

A mesa redonda de Cabo Verde de Paris marca um momento de transição, de acordo com o vice-primeiro-ministro e ministro das Finanças. “Nós queremos inverter a lógica de financiamento com foco no setor privado, numa parceria publico privada no sentido de não se aumentar a divida pública e a mobilização será no modelo de doação ou empréstimo”, disse.

Nos dois dias do evento em Paris, que acontecerá sob o lema “Construindo Novas Parcerias para o Desenvolvimento Sustentável De Cabo Verde”, o governo cabo verdiano espera poder mobilizar parceiros internacionais de desenvolvimento e representantes do setor privado em torno das principais aéreas estratégicas identificadas para desenvolver uma parceria tripartida.

O governo ainda não divulgou o montante a ser mobilizado, mas as áreas a serem apresentadas na mesa redonda de Paris, de 11 e 12 de dezembro já estão elencadas: “Áreas que tem a ver com energias renováveis, água saneamento, transportes, Tecnologias de Informação e Comunicação, Turismo e Água Industrial, numa lógica diferente de parceria para atrair investidores”, apontou Olavo Correia.

Nesta nova lógica centrada no setor privado – e com a descida de Cabo Verde em quatro pontos no ‘ranking’ do Doing Business do Banco Mundial de 2019,  o governante entende que  é  preciso melhorar “radicalmente” o ambiente de negócio. “Nós temos de melhorar as condições de acesso ao financiamento, melhorar as instituições públicas no sentido de serem mais pró-empresas, reforçar o quadro regulatório por forma a proteger os investidores, sobretudo os minoritários”, frisou.

No primeiro dia da “Mesa Redonda” de Paris, o governo de Cabo Verde quer concentrar no envolvimento com os parceiros de desenvolvimento, enquanto no segundo dia deverá centrar-se em oportunidades para alavancar o investimento privado e esperam presenças de 200 participantes.

Ler mais
Recomendadas

Comissão parlamentar cabo-verdiana visita imigrantes

A realização de encontros personalizados com imigrantes nos sítios onde trabalham marca o segundo dia da visita da Comissão Especializada Permanente da Assembleia Nacional à ilha do Fogo.

“Estou convencido de que Cabo Verde está preparado para uma Lei de Paridade”

Segundo o primeiro-ministro, a aprovação da proposta de lei no Parlamento, cuja meta é para a ‘luz verde’ é 2019, vai garantir o princípio de paridade nos órgãos colegiais eleitos para o sistema político cabo-verdiano.

Projeto de renováveis em Monte Trigo reforçado com 77 mil euros

Esta é a primeira aldeia de Cabo Verde abastecida a 100% com energia renovável.
Comentários