Governo de Cabo Verde organiza evento em Paris para mobilizar financiamento

Segundo o ministro das Finanças, Olavo Correia, Cabo Verde quer mobilizar, durante o encontro, os parceiros públicos e privados para esta nova fase em que se pretende transformar as ilhas numa plataforma de prestação de serviços em que o setor privado tem um papel importante.

A “Mesa Redonda” de Cabo Verde, em Paris, para mobilização de financiamento será nos dias 11 e 12 de dezembro. Segundo o vice-primeiro-ministro e ministro das Finanças cabo verdiano, Olavo Correia, Cabo Verde quer mobilizar, durante o encontro, os parceiros públicos e privados para esta nova fase em que se pretende transformar as ilhas numa plataforma de prestação de serviços em que o setor privado tem um papel importante.

Olavo Correia reuniu esta segunda-feira com os membros conselho consultivo desta conferência internacional de Cabo Verde na capital de França, constituído por parceiros do desenvolvimento e organizações da sociedade civil nacionais.

O objetivo do encontro, que se realizou na Cidade da Praia, foi dar a conhecer os passos dados para a conferência de Paris e as metas traçadas pelo do governo no sentido de desenvolver novas parcerias técnicas e financeiras com parceiros de desenvolvimento e investidores internacionais e encontrar, modalidades inovadoras de financiamento.

A mesa redonda de Cabo Verde de Paris marca um momento de transição, de acordo com o vice-primeiro-ministro e ministro das Finanças. “Nós queremos inverter a lógica de financiamento com foco no setor privado, numa parceria publico privada no sentido de não se aumentar a divida pública e a mobilização será no modelo de doação ou empréstimo”, disse.

Nos dois dias do evento em Paris, que acontecerá sob o lema “Construindo Novas Parcerias para o Desenvolvimento Sustentável De Cabo Verde”, o governo cabo verdiano espera poder mobilizar parceiros internacionais de desenvolvimento e representantes do setor privado em torno das principais aéreas estratégicas identificadas para desenvolver uma parceria tripartida.

O governo ainda não divulgou o montante a ser mobilizado, mas as áreas a serem apresentadas na mesa redonda de Paris, de 11 e 12 de dezembro já estão elencadas: “Áreas que tem a ver com energias renováveis, água saneamento, transportes, Tecnologias de Informação e Comunicação, Turismo e Água Industrial, numa lógica diferente de parceria para atrair investidores”, apontou Olavo Correia.

Nesta nova lógica centrada no setor privado – e com a descida de Cabo Verde em quatro pontos no ‘ranking’ do Doing Business do Banco Mundial de 2019,  o governante entende que  é  preciso melhorar “radicalmente” o ambiente de negócio. “Nós temos de melhorar as condições de acesso ao financiamento, melhorar as instituições públicas no sentido de serem mais pró-empresas, reforçar o quadro regulatório por forma a proteger os investidores, sobretudo os minoritários”, frisou.

No primeiro dia da “Mesa Redonda” de Paris, o governo de Cabo Verde quer concentrar no envolvimento com os parceiros de desenvolvimento, enquanto no segundo dia deverá centrar-se em oportunidades para alavancar o investimento privado e esperam presenças de 200 participantes.

Ler mais
Recomendadas

Deputado cabo-verdiano critica qualidade de materiais chineses usados em furos

O deputado cabo-verdiano Damião Medina, do MdP, partido no poder no país, afirmou esta quarta-feira, no parlamento, que os materiais chineses usados para equipar furos no concelho do Porto Novo, ilha de São Antão, são de má qualidade.

Ilha do Sal entre os destinos que mais cresceram nas preferências dos portugueses em 2018

Os destinos que mais cresceram nas preferências dos portugueses no ano passado foram a ilha do Sal, em Cabo Verde, a cidade italiana de Florença e a ilha de Malta.

DNRE apresenta sistema de pagamento de impostos online em Cabo Verde

Na próxima sexta-feira, o encontro promovido pela Direção Nacional de Receitas do Estado explicará também (a contribuintes e agentes económicos) o Manual de Faturas.
Comentários