Governo de Cabo Verde pretende fechar privatização da TACV ainda em 2018

O executivo cabo-verdiano pretende encerrar a venda de 51% do capital da transportadora aérea ainda este ano.

O governo cabo-verdiano pretende fechar o processo de privatização da transportadora aérea cabo-verdiana – TACV, com venda de 51% do capital social ainda em 2018 para transformar Cabo Verde na plataforma de prestação de serviços aéreos no Atlântico Médio.

Em comunicado de imprensa, o executivo informa que recebeu da empresa Loftleidir-Icelandic, do Grupo Icelandair, uma proposta para a aquisição de 51% do capital dos TACV – Cabo Verde Airlines.

Essa proposta, acrescenta a mesma fonte, foi avaliada por uma comissão nomeada por despacho conjunto dos ministros das Finanças e do Turismo e Transportes e assessorada por peritos internacionais em direito comercial, transportes aéreos e privatização.

“Na sequência, o Conselho de Ministros deliberou no sentido de eleger o referido proponente como parceiro estratégico para a privatização dos TACV”, lê-se no comunicado.

De acordo com o documento em apreço, as negociações com o parceiro estratégico decorrem os seus trâmites normais e sempre no estrito cumprimento da lei das privatizações e cujo foco é a defesa dos superiores interesses do país.

Recomendadas

INE de Cabo Verde nega interferência do Governo na produção e difusão de estatísticas

O Instituto Nacional de Estatística considera falsa a afirmação de um dos deputados do Partido Africano da Independência de Cabo Verde, da oposição, segundo a qual “os dois técnicos que apoiaram a UCID nas últimas eleições em Cabo Verde estão na prateleira no INE”.

Governo de Cabo Verde considera crucial reforçar controlo das bebidas alcoólicas

A proposta de lei para o álcool proíbe os locais autorizados para venda de bebidas alcoólicas a realizarem descontos e promoções de tipo consumo mínimo livre.

Governo cabo-verdiano lança concurso para financiamento de investigação

Aquilino Varela anunciou que o Fundo de Pesquisa para Desenvolvimento já foi criado, mas aguarda a validação política.
Comentários