Governo de São Vicente quer empresas certificadas na norma de gestão ambiental

As informações foram avançadas pelo presidente do IGQPI, Abraão Lopes, que ministra a formação em São Vicente, iniciada hoje, em parceria com a Direcção Regional de Indústria, Comércio e Energia Norte (DRICEN).

O Instituto de Gestão da Qualidade e da Propriedade Intelectual (IGQPI) realiza em São Vicente uma formação de técnicos em ISO 14001, uma iniciativa que pretende certificar empresas cabo-verdianas nesta norma ambiental, tida como prioridade na CEDEAO.

As informações foram avançadas pelo presidente do IGQPI, Abraão Lopes, que ministra a formação em São Vicente, iniciada hoje, em parceria com a Direcção Regional de Indústria, Comércio e Energia Norte (DRICEN).

A norma de gestão ambiental ISO 14001:2015, como explica a mesma fonte, tem referências a “gestão prudente” e preservação” e cuja acção de capacitação está sendo feita, neste momento, em Cabo Verde e em todos os outros países da Comunidade Económica dos Estados da África Ocidental (CEDEAO), mais Mauritânia.

Esta iniciativa insere-se, ajuntou, no Programa de Sistema de Qualidade da África Ocidental (PSQAO) a fim de permitir que “os países possam criar capacidade interna de implementação e de gestão da norma ambiental”.

“Portanto é uma norma de âmbito internacional e que pode ser aplicada em qualquer parte do mundo, particularmente em Cabo Verde”, salientou Abraão Lopes, que adiantou que a nível nacional a formação contempla as empresas e instituições e outros serviços públicos e privados com “maior impacto” ambiental.

No total conta-se com cerca de 30 formandos, representantes das empresas e instituições e ainda auditores da qualidade formados, segundo a mesma fonte, pelo IGQPI e que agora recebem formação em ISO 14001:2015.

“O objectivo é termos capacidade nacional e o conhecimento a nível das empresas relativamente à aplicação da norma”, salientou, acrescentando ser a última etapa a certificação a ser atribuída pelo IGQPI, através de uma auditoria externa, em que “o auditor atribui ou não a certificação em função das condições criadas”.

“A ideia é ter uma equipa técnica nacional capaz de ajudar a IGQPI na implementação dessa norma”, lançou o responsável, que espera depois ter empresas “mais sensibilizadas e preparadas” relativamente à gestão ambiental.

A formação, que conta com o financiamento da União Europeia e com capacitação técnica da Organização das Nações Unidas para Desenvolvimento Industrial (UNIDO), decorre de hoje até o dia 20, com componentes teóricos e práticos, e no final com atribuição de certificados de participação.

Ler mais
Recomendadas

Primeiro-ministro de Cabo Verde anuncia que 53 mil alunos serão isentos de propinas

Ulisses Correia e Silva afirma que este investimento significa um “ganho significativo” no acesso à educação e no retorno do rendimento às famílias.

Provedor de Justiça cabo-verdiano à beira de chegar a mil queixas

“As coisas estão a fluir e as instituições estão a colaborar cada vez mais connosco e penso que já perceberam que nós existimos para ajudar o país, visando a sua evolução. Quando as pessoas estão satisfeitas e motivadas trabalham mais, pelo que é preciso haver justiça para que o país caminhe melhor”, afirmou Vera Querido.

Cabo Verde deve reforçar regulação entre biodiversidade e turismo, afirma Alexandre Nevsky

“Já apresentamos a proposta de um novo regime jurídico para avaliação do impacto ambiental, um documento mais moderno”. disse o diretor nacional do Ambiente de Cabo Verde.
Comentários