Governo escolhe Francisco de Lima para novo presidente do INE

Segundo a Presidência do Conselho de Ministros, o Governo enviou já, para parecer da Comissão de Recrutamento e Selecção da Administração Pública (CRESAP), a composição do Conselho Diretivo do INE para o próximo quinquénio.

O novo presidente do Instituto Nacional de Estatística (INE) escolhido pelo Governo é Francisco Miguel Garcia Gonçalves de Lima, que irá substituir Alda Carvalho, disse fonte da Presidência do Conselho de Ministros à Lusa.

O mandato do atual Conselho Diretivo do INE terminou a 31 de dezembro e Alda Carvalho, que presidia o INE há 12 anos, saiu para a reforma em dezembro, à beira de completar 70 anos, o limite de idade para exercer funções públicas.

Segundo a Presidência do Conselho de Ministros, o Governo enviou já, para parecer da Comissão de Recrutamento e Selecção da Administração Pública (CRESAP), a composição do Conselho Diretivo do INE para o próximo quinquénio: Francisco Miguel Garcia Gonçalves de Lima (para presidente), Carlos Manuel Matias Coimbra (que já é atualmente vogal) e Maria João Gaspar Tavares Zilhão (para vogal).

O novo Conselho Diretivo iniciará funções quando for obtido o parecer da CRESAP “e quando estiverem concluídas as demais formalidades legais necessárias”, adianta a mesma fonte.

Depois da saída de Alda Carvalho, a gestão do instituto será assegurada pelo restante Conselho Diretivo até à nomeação dos novos responsáveis, segundo disse fonte do INE na terça-feira à Lusa.

Recomendadas

Altice Portugal em conversas com dois bancos para prestar serviços financeiros

Alexandre Fonseca afirmou que, “neste momento, a Altice Portugal está a falar com duas instituições financeiras nacionais (…) sobre a possibilidade de expandir a sua oferta para a área de serviços financeiros”.

PremiumEmpresas e famílias terão incentivos fiscais no interior

Governo lança benefícios fiscais (ao nível do IRC e do IRS) para promover a revitalização do interior. Investir fora dos grandes centros urbanos terá mais vantagens para as famílias e para as empresas.

PremiumGoverno vai alocar 200 milhões das receitas do IRC à Segurança Social

O Governo pretende alocar cerca de 200 milhões de euros das receitas de IRC arrecadadas em 2019 ao Fundo de Estabilização Financeira da Segurança Social, o equivalente a um ponto percentual da taxa do imposto que recai sobre as empresas . Face à transferência deste ano, os cofres da Segurança Social receberão mais 120 milhões de euros em 2019.
Comentários