Governo espanhol aumenta salário mínimo em 22%

A atualização da remuneração mínima dos trabalhadores para os 900 euros é uma das medidas inscritas no Orçamento do Estado (OE) para 2019, com vista à aprovação no Parlamento, onde o atual governo não tem maioria.

O governo espanhol de Pedro Sánchez chegou a acordo com o Podemos para aumentar em 22% o salário mínimo dos trabalhadores. A atualização da remuneração mínima dos trabalhadores para os 900 euros é uma das medidas inscritas no Orçamento do Estado para 2019, com vista à aprovação no Parlamento, onde o atual governo não tem maioria.

Com esta medida, o salário mínimo dos trabalhadores deve passar dos atuais 735,90 euros para 900 euros já no próximo ano. A atualização corresponde a uma subida de 164,10 e resulta de várias cedências do governo espanhol com o Podemos. Pedro Sánchez defendia uma subida do salário mínimo para os 850 euros, enquanto o partido de Pablo Iglesias exigia mil euros. A solução passa pelo meio termo.

O chefe do executivo espanhol e o líder do Podemos estiveram reunidos esta madrugada para fechar o acordo sobre o Orçamento do Estado para o próximo ano. Entre outras medidas acordadas estão a subida de 3% para as pensões mínimas e não contributivas e a criação de um imposto de 1% sobre fortunas superiores de 10 milhões de euros.

Recomendadas

Legisladores norte-americanos “culpam” príncipe herdeiro saudita pelo assassinato de Khashoggi

“Eu acho que ele fez isso? Sim, acho que ele fez isso ”, referiu o senador republicano Bob Corker, presidente do Comité de Relações Externas do Senado norte-americano, numa entrevista ao canal televisivo “CNN”.

Eleições regionais na Polónia são teste para o governo eurocético

Os polacos votam este domingo, 21 de outubro, numa eleição com uma vitória esperada para o partido governista Lei e Justiça (PiS), cuja retórica nacionalista e reformas institucionais colocaram o país em disputa com a União Europeia.

Khashoggi: Riade afirma que não sabe onde está o corpo

O ministro dos Negócios Estrangeiros saudita, Adel al-Jubeir, afirmou este domingo, 21 de outubro, que não sabe “onde se encontra o corpo” do jornalista Jamal Khashoggi, considerando que a sua morte foi “um erro monumental”.
Comentários