Governo já enviou anteprojeto das Grandes Opções do Plano de 2019

Governo remeteu hoje ao Conselho Económico e Social (CES) o anteprojeto das Grandes Opções do Plano (GOP) de 2019, com vista à obtenção do necessário parecer.

Tiago Petinga/Lusa

O Governo remeteu hoje ao Conselho Económico e Social (CES) o anteprojeto das Grandes Opções do Plano (GOP) de 2019, com vista à obtenção do necessário parecer, anunciou hoje um comunicado do Ministério do Planeamento e das Infraestruturas.

“Este documento apresenta as principais linhas de orientação estratégica para o último ano da legislatura, em estreita articulação com a estratégia de médio prazo preconizada nos seis pilares do Programa Nacional de Reformas: qualificação dos portugueses; promoção da inovação na economia portuguesa; valorização do território; modernização do Estado; redução do endividamento da economia; e reforço da coesão e igualdade social”, esclarece o referido comunicado.

Segundo o Ministério do Planeamento e das Infraestruturas, “as GOP fazem uma síntese dos principais resultados alcançados com a implementação da estratégia definida pelo Governo e apresentam ainda algumas das novas medidas a executar em 2019”.

“Dessa forma, o Governo pretende continuar, em 2019, o desenvolvimento das políticas públicas que têm conduzido o País numa trajetória de crescimento sustentado, baseada na promoção de uma sociedade mais coesa e justa, e garantindo, simultaneamente, a manutenção de finanças públicas sãs e equilibradas. Assim, mantendo uma linha persistente de superação dos bloqueios estruturais enfrentados pelo País, será possível garantir mais crescimento, melhor emprego e maior igualdade”, promete o Governo e o ministério liderado por Pedro Marques.

Recomendadas

Premium‘Bridge-jobs’: a solução para trabalhar mais tempo e salvar o sistema de pensões

Menos nascimentos e uma população mais envelhecida são o rastilho para a implosão do mercado de trabalho e do sistema de pensões. Apesar disso, os mais velhos poderão ser o balão de oxigénio de que vamos precisar no futuro.

PremiumConsumidores estão a mudar a produção

Cerealis, Grupo Primor, Novarroz e Tété faturam em conjunto cerca de 380 milhões de euros por ano e têm uma presença diversificada em mercados externos. Mas o segredo do negócio passa pela inovação.
greve_motoristas_materias_perigosas_camionistas

Dez horas de negociações não foram suficientes. Motoristas e patrões falham acordo e greve mantém-se

“Trabalhámos em conjunto com o senhor ministro uma proposta que seria razoável para desbloquear a situação. A Antram rejeitou a proposta e a greve mantém-se”, afirmou à agência Lusa o representante do SNMMP, Pedro Pardal Henriques, no final da reunião.
Comentários