Governo prepara ligação marítima Madeira-continente

A ministra do Mar, Ana Paula Vitorino, anunciou hoje que está a trabalhar com o Ministério das Finanças na elaboração de uma portaria sobre a continuidade territorial por via marítima que ligue esta região ao continente.

“Estou, juntamente com o ministério das Finanças, a analisar a forma e os termos que vamos assinar numa portaria que regula aquilo que diz respeito à continuidade territorial por via marítima”, declarou a governante, discursando no decorrer da II convenção dos Estados Gerais do PS da Madeira, integrada no projeto “Pela Madeira Sim ao Futuro”, que vai versar nesta segunda edição o tema ‘Economia Azul”

A responsável apontou que a continuidade territorial não significa só uma ligação marítima por ferry entre a Madeira e Portimão, como acontece atualmente nos meses do verão, motivo pelo qual este projeto é visto de “forma sustentável, com enquadramento legal correto e soluções sustentáveis do ponto de vista económico e da procura”.

Apontou que, em 2015, foi elaborado um diploma que contemplava a continuidade territorial por modo aéreo e marítimo, “mas só foi regulado para o modo aéreo e é como se não existisse” para a via marítima.

A governante enfatizou que o Governo está a tentar resolver o problema, o que “engloba estudos de rotas” entre a Madeira e o continente, e a avaliar “simultaneamente a questão da sustentabilidade financeira”, nomeadamente a questão dos subsídios.

“Tem de haver aqui, não uma postura de exigência do Governo Regional, mas de colaboração, tendo em consideração que a continuidade territorial é uma coisa boa para todos os portugueses”, devendo o assunto ser tratado numa “lógica inclusiva”

Ainda argumentou que “há diferenças entre os modos de transportes”, em termos de enquadramento legal a nível internacional, pelo que o Governo está “a estudar um pacote com seriedade”.

Ana Paula Vitorino realçou já ter dado “orientações à administração do porto de Lisboa para estudar uma localização, dentro deste porto”, para a instalação de uma rampa para o acesso dos veículos, “porque sem rampa não é possível” concretizar esta ligação.

A ideia, disse a ministra, é que esta infraestrutura seja integrada no Campus do Mar, projeto que a ministra vai anunciar no dia 30 deste mês.

A responsável destacou também que no processo de implementação do projeto da “janela única logística”, que visa a modernização administrativa no domínio do mar, o porto madeirense do Caniçal [leste da Madeira] foi escolhido como infraestutura-piloto “para fazer a primeira implementação que vai estar concluída no final do primeiro trimestre”.

A governante anunciou igualmente que se reuniu na sexta-feira, no Funchal com o grupo económico que gere os portos da Madeira [o grupo Sousa], e um grupo de estivadores, tendo sido possível chegar a um acordo, pelo que “o pré-aviso de greve não vai afetar o porto do Caniçal”.

A ministra realçou que 97% do território nacional é marítimo, sendo o “nosso desígnio o aproveitamento sustentável do mar”.

“Somos um país marítimo e temos de nos afirmar como tal. Temos mais responsabilidades, mas também mais possibilidades”, vincou, defendendo que “Portugal tem que falar a uma só voz nestas matérias a nível da União Europeia e da Organização das Nações Unidas”.

A ministra falou do “pacote de medidas” adotadas pelo Governo da República, declarando que o “Registo Internacional de Navios da Madeira é um orgulho”.

A governante referiu a importância da aprovação em Conselho de Ministro uma proposta criação do regime dos navios com bandeira portuguesa quando atravessam zona de perigo poderem contratar equipas de segurança.

Ler mais
Recomendadas

Transportes públicos no Médio Tejo com reduções de pelo menos 40%

A redução vai abranger não só os transportes públicos dentro da região, mas também na ligação a regiões vizinhas (Lezíria, Leiria, Coimbra e Beira Baixa) e os que são usados nas ligações pendulares a Lisboa, incidindo nos passes normais e jovens.

Banco Montepio inaugurou em Abraveses o primeiro balcão de proximidade

Com esta abertura, o Banco inicia a criação de uma rede de balcões de proximidade e conveniência, em zonas menos urbanas, para servir populações que em muitos casos não têm acesso a quaisquer serviços bancários. Depois da abertura de Abraveses, e até ao final de maio, serão inaugurados os balcões de Avanca (Estarreja), Pedras Salgadas (Vila Pouca de Aguiar), Fão (Esposende), Ferro (Covilhã), Ferreira do Alentejo e Oiã (Oliveira do Bairro).

Novo Banco lança abertura de conta através da Chave Móvel Digital

Acedendo ao site novobanco.pt, qualquer cidadão com acesso à chave móvel digital poderá, em casa ou em qualquer outro local, usar este novo processo de abertura de conta.
Comentários