Governo vai avançar com nova Expo na zona ocidental de Lisboa

Já vários especialistas consideram que este empreendimento de reconversão urbana na zona ribeirinha de Pedrouços será de dimensão equivalente ao que deu origem à Expo 98, agora designado Parque das Nações.

O Governo vai apresentar, na próxima segunda-feira, em cerimónia oficial, o projeto para a reconversão urbana e ribeirinha da zona de Pedrouços, que abrange os concelhos de Lisboa e de Oeiras.

O projeto prevê o investimento de várias centenas de milhões de euros ao longo dos próximos anos.

O plano de reconversão urbana desta zona vai designar-se ‘Ocean Campus’, e será essencialmente dedicado às atividades relacionadas com o mar.

Já vários especialistas consideram que este é um empreendimento de reconversão de dimensão equivalente ao que deu origem à Expo 98, agora designado Parque das Nações.

O Jornal Económico sabe que o evento terá lugar na próxima segunda-feira do edifício poente da Docapesca, na Avenida Brasília, em Pedrouços.

No âmbito desta cerimónia, será lançado o concurso público para a concessão da nova marina de Pedrouço, além de ser inaugurada a ‘ciclovia do mar’.

 

Ler mais
Recomendadas

PAN pede campanha informativa sobre 5G em Matosinhos

Matosinhos tem uma Zonal Livre Tecnológica, promovida pelo CEiiA – Centro de Engenharia e Desenvolvimento, da qual faz parte a NOS. A operadora usa a zona para testar 5G e em outubro anunciou ter coberto “integralmente” com a nova tecnologia móvel. Agora o PAN pede palestras, conferências e debates por toda a cidade para explicar o que é o 5G.

PremiumPropostas não vinculativas pela Brisa são esperadas até 19 de dezembro

O grupo José de Mello e o fundo Arcus, que controlam a maioria do capital, colocaram à venda 80% da empresa (40% cada um).

Transporte de passageiros nos aeroportos nacionais regista crescimento de 6,6%

Este valor representa um aumento de 7,8% em relação ao trimestre anterior num total de 18,8 milhões de passageiros. Em sentido inverso, o transporte de mercadorias verificou quebras de 12,9% nos portos marítimos nacionais, 15,9% por ferrovia e 5,8% por via rodoviária.
Comentários