Green Pipeline Project. Hidrogénio verde vai ser injetado na rede de gás natural em Portugal

Seixal será casa do primeiro projeto em Portugal que vai levar uma mistura de gás natural e hidrogénio a 80 clientes residenciais, terciários e industriais, a partir de janeiro.

A GGND (Galp Gás Natural Distribuição) apresentou na passada sexta-feira, no Seixal, o primeiro projeto em Portugal de injeção de hidrogénio verde na rede de gás, um projecto financiado pelo Fundo de Apoio à Inovação (FAI).

O “Green Pipeline Project” — que na sua apresentação contou com a presença do secretário de Estado Adjunto e da Energia, João Galamba — vai abranger 80 clientes residenciais, terciários e industriais que, a partir de janeiro de 2022, vão começar a receber uma mistura de gás natural e hidrogénio, “dando assim um importante passo no processo de transição energética em Portugal”, lê-se na nota divulgada.

Numa fase inicial do projeto será injetado 2% de hidrogénio na rede de gás natural, subindo gradualmente esta percentagem até um máximo de 20% num período de dois anos. “Todo o processo vai ser monitorizado e acompanhado em detalhe por um grupo de especialistas, de forma a que este projeto possa servir de exemplo de boas práticas, para muitos outros projetos que certamente irão ocorrer no futuro, tanto a nível nacional como internacional”, é ressalvado.

“É um marco importante para o sistema energético nacional, porque promove uma mudança para uma economia mais verde, tendo como base uma das redes de distribuição de gás mais modernas da Europa”, realça o CEO da GGND, Gabriel Sousa, citado num comunicado, na sequência do evento de apresentação do projeto que contou, entre outros, com o secretário de Estado Adjunto da Energia, João Galamba.

O hidrogénio verde, combustível 100% renovável, vai ser produzido no Parque Industrial do Seixal, no distrito de Setúbal, através da parceria da GGND com a empresa portuguesa Gestene.

 

Recomendadas

Promotor imobiliário chinês Evergrande avisa que pode falhar reembolso de dívida

O promotor imobiliário chinês Evergrande, que se confronta com uma dívida de 310 mil milhões de dólares (274 mil milhões de euros), avisou esta sexta-feira que pode vir a ficar sem dinheiro para “cumprir as suas obrigações financeiras”.

Sines tem as “melhores condições” para atrair investimento direto estrangeiro, diz Eurico Brilhante Dias

O secretário de Estado da Internacionalização, Eurico Brilhante Dias, disse esta sexta-feira que Sines (Setúbal) continua a ser a localização do país com “melhores condições para atrair investimento direto estrangeiro”, no âmbito da transição energética e climática.

Produtores vão gastar até mais 1.500 euros por hectare com escalada de preços

As organizações de produtores de tomate para indústria dizem estar preocupadas com a escalada dos preços dos fatores de produção, prevendo-se, que em 2022, a subida será entre os 1.200 e 1.500 euros por hectare.
Comentários