Grupo ETE vai reforçar presença em Cabo Verde

Operador português está interessado nos estaleiros da Cabnave e no desenvolvimento do transporte marítimo entre ilhas.

Yiorgos Karahalis/Reuters
Ler mais

O operador português de terminais portuários ETE está interessado na concessão dos estaleiros da Cabnave e quer investir no desenvolvimento do transporte marítimo inter-ilhas em Cabo Verde.

Presente em Cabo Verde há mais de 29 anos, através do armador Transinsular, o Grupo ETE participou na 21.ª edição da Feira Internacional de Cabo Verde, no Mindelo, onde anunciou o reforço da presença naquele país africano.

Os responsáveis pelo Grupo ETE reuniram-se com representantes do governo cabo-verdiano para apresentar um conjunto soluções no setor portuário, como o desenvolvimento do transporte marítimo inter-ilhas e regional, e mostrar o seu interesse em voltar a concorrer à concessão dos estaleiros da Cabnave.

“Manifestámos aos senhores ministros das Finanças e da Economia que continuamos totalmente interessados e empenhados na concessão da Cabnave ou noutro modelo de parceria público-privada que vier a ser decidida pelo governo”, afirmou o administrador Luís Mira de Oliveira.

O operador marítimo, fundado em 1936, pretende apresentar uma proposta de solução de transporte marítimo de carga inter-ilhas que apoie as economias locais. Luís de Oliveira adianta, que apesar de o core ser a carga, o Grupo ETE está disponível para fazer uma parceria com outros players caso seja necessário.

O investimento mais recente foi a criação de uma sociedade armadora de direito cabo-verdiano, a “Transinsular Cabo Verde – Transportes Marítimos Insulares de Cabo Verde, Lda.”. Em processo de conclusão está processo de passagem de um dos seus navios (Ponta do Sol) para o novo armador e o estabelecimento da empresa “ETE Cabo Verde – Operações Portuárias, Lda”, criada com o intuito de ser um operador na gestão dos Portos da Praia, Mindelo, Palmeira e Sal Rei, em regime de concorrência, consórcio ou com base em outro modelo a definir pelo governo de Cabo Verde.

Uma das últimas apostas no país foi o serviço África Expresso, o único a oferecer ligação regular direta entre Portugal, Sal e Boavista, desde o dia 1 de outubro. Na opinião do CEO da Transinsular, Miguel Paiva Gomes, o serviço África Expresso “otimiza tanto as soluções de transporte de mercadorias para Cabo Verde originárias de Portugal e Espanha como para a Guiné-Bissau, Mauritânia e Canárias”.

A economia cabo-verdiana cresceu 3,9%, em 2016, e as expectativas do banco central de Cabo Verde prevêem um crescimento económico superior a 3% para menor este ano.

A zona euro é o principal parceiro económico do arquipélago.

Recomendadas

BPI é membro fundador do NEST – projeto-âncora do Programa Turismo 4.0

O BPI lidera a Linha de Apoio à Qualificação da Oferta – Turismo de Portugal, com uma quota de 23,6% do montante total de crédito enquadrado até 30 de junho de 2018. No âmbito desta linha, o BPI, em conjunto com o Turismo de Portugal, já financiou mais de 20 milhões de euros respeitantes a 37 projetos (27,8%).

Novo Banco nomeia Mark Bourke para CFO

Mark Bourke deverá entrar em funções no Novo Banco previsivelmente no início do próximo ano, depois de completar o seu mandato no AIB e após autorização pelo Banco Central Europeu.

Central hidroelétrica inovadora da EDP na Venda Nova ganha prémios internacionais

Central hidroelétrica Frades II, da EDP, foi distinguida com dois prémios internacionais de renome pela tecnologia implementada, inovação, rentabilidade e fiabilidade.
Comentários