PremiumGSi. Um acrónimo que se adapta espantosamente bem ao Insignia

Procurar saber se há carros bons ou maus não faz sentido. É mais correto procurar saber se são bons ou muito bons. E o Opel Insignia GSi Biturbo de dois litros responde a todas as exigências.

Estamos perante um desportivo familiar, ou melhor, um carro que pode ser familiar quando é preciso e passa a desportivo sempre que o condutor o entender. O veículo testado debita 210 cv de potência com 480 Nm de binário nas 1500 rpm. Um bólide a sério que dá prazer pela experiência única. E se há marcas com raça, este Opel Insignia do grupo PSA é um deles. Com uma caixa automática de oito velocidades, o GSi tem mais um pormenor, permitindo ao condutor escolher uma alternativa, o chamado “competitive mode”, que permite desligar os sensores ao nível da estabilidade e da potência. Uma opção que só deve ser escolhida e experimentada por quem sabe conduzir muito bem. Para os condutores ditos normais, nem pensar em desligar sensores perante uma máquina que vai dos 0 aos 100 km/h em 7,9 segundos e que atinge uma velocidade de ponta de 233 km/h, de acordo com a ficha técnica.

 

Conteúdo reservado a assinantes. Para ler a versão completa, aceda aqui ao JE Leitor

Recomendadas

“Música no Feminino”: roteiro de viagem feito de sons

De 23 a 28 de janeiro, o palco do Grande Auditório da Gulbenkian recebe vozes femininas de várias geografias. O ciclo “Música no Feminino” leva-nos a viajar pelo canto mandinga e tradicional persa, passa pelo fado e cruza-se com a clássica e a experimental. Há todo um mundo à sua espera.

Quem vai ganhar um Óscar? Conheça os nomeados

“Roma” e “Favorita” lideram as nomeações, Christian Bale conquista lugar na competição para Melhor Ator e “Black Panter” torna-se no primeiro filme da Marvel a competir pelo prémio principal. O JE conta-lhe tudo sobre as nomeações da academia.

Prémios Mesa Marcada: Saiba onde deve marcar mesa este ano

Mais um ano, mais uma edição. Os prémios Mesa Marcada aconteceram esta segunda-feira e premiaram os melhores chefes e restaurantes do país. O JE conta-lhe tudo. Só não lhe marca mesa.
Comentários