“Caprichos” de Trump põem em alerta indústria automóvel alemã

Em entrevista à agência Bloomberg, o presidente do grupo lobista da indústria automóvel alemã VDA disse ver com grande preocupação a hipótese de uma guerra comercial.

Representantes da indústria automóvel alemã alertaram, esta segunda-feira, para os riscos de o presidente dos Estados Unidos aumentar as taxas alfandegárias dos carros importados da União Europeia. Subir os impostos à importação de veículos da BMW, Audi ou Volkswagen irá criar uma situação de perda mútua, segundo defenderam em declarações à agência Bloomberg.

No fim-de-semana, Donald Trump afirmou que há uma “grande desequilíbrio comercial” nas taxas alfandegárias para a importação de automóveis da zona euro.

“Penso que o governo norte-americano sabe que tivemos acordos como o da NAFTA que não devem ser destruídos por causa de um capricho”, afirmou o CEO da Volkswagen, Matthias Mueller, em entrevista à Bloomberg TV. “Todos nos esforçámos pela globalização nas últimas décadas e penso que não deveríamos abandonar essa ideia tão rapidamente”.

No ano passado, o aumento da produção de veículos de marcas alemãs em terreno norte-americano levou a uma diminuição do gap para 64 mil carros. O Governo alemão tem defendido a indústria do país, mas afirmou não querer entrar numa guerra comercial com os Estados Unidos.

“Numa tal guerra comercial, há apenas perdedores, de todos os lados”, afirmou Bernhard Mattes, presidente do grupo lobista da indústria automóvel alemã VDA. “Estamos a acompanhar os desenvolvimentos com grande preocupação”.

Relacionadas

Guerra comercial de Trump contra o mundo penaliza Wall Street

Trump anunciou aumentos das taxas alfandegárias para a importação de aço e alumínio nos EUA. Esta segunda-feira, voltou ao Twitter para explicar que o Canadá e o México poderão ganhar isenções, mas há condições.

China prepara nova lei para “promover e proteger o investimento estrangeiro”

“Criar um ambiente transparente, estável e previsível para o investimento estrangeiro e proteger os seus direitos e interesses legítimos” é um dos objetivos que Zhang mencionou na conferência de imprensa no Grande Salão do Povo em Pequim, segundo avança o El Economista.

Guerra de aço e alumínio põe o mundo contra Trump

Medida do presidente norte-americano visa proteger a indústria norte-americana, mas num primeiro momento parece indiciar o início de uma “guerra comercial”.
Recomendadas

Carlos Tavares diz que Concorrência e Bruxelas analisaram as propostas do Governo sem olhar para mercado ibérico de eletricidade

“Qualquer análise de concorrência tinha de ser feito no âmbito do mercado ibérico, o que foi totalmente esquecido no parecer da Autoridade da Concorrência que se baseava apenas no funcionamento do mercado fechado”, disse o ex-ministro que diz que “se há coisa que se arrepende é de ter sido Ministro da Economia”.

Serviço público dá prejuízo às farmácias, conclui estudo da ANF

Associação Nacional de Farmácias salienta as conclusões do estudo “Sustentabilidade da Dispensa de Medicamentos em Portugal”, realizado pela Universidade de Aveiro em colaboração com a sociedade de revisores oficiais de contas Oliveira, Reis & Associados.

Vai ser afetado pela greve da Ryanair esta sexta-feira? Conheça os seus direitos

Paralisação vai afetar cerca de 190 voos em toda a Europa e aproximadamente 30 mil passageiros e pode custar à Ryanair cerca de 8,4 milhões de euros em compensações. Se tem bilhete para voar com a companhia ‘low cost’, saiba como se defender.
Comentários