Hoje há “Jogo Económico”. Que impacto vai ter a Liga das Nações em Portugal?

Nesta edição vamos perspectivar qual o impacto da Liga das Nações em Portugal: da dinamização do norte do país à equipa portuguesa que concebeu o troféu. Luís Miguel Henrique, João Marcelino e Pedro Gonzalez, diretor-executivo da Y&R Branding compõem o painel do Jogo Económico.

Hoje, às 21h00, não perca mais uma edição do programa “O Jogo Económico”, o espaço de debate económico onde o desporto é ‘rei’.

Uma equipa 100% portuguesa da Y&R Branding foi desafiada pela UEFA para criar um troféu “diferente de todos os outros”. Assim nasceu a taça da Liga das Nações, um troféu que pode ser levantado em junho de 2019 por um futebolista português em solo nacional. Que impacto pode ter esta competição em Portugal? Pode a fase final da Liga das Nações ser um ‘balão de ensaio’ para a organização, em conjunto com Espanha e Marrocos, do Mundial de 2030?

Não perca o debate no Jogo Económico com Luís Miguel Henrique, João Marcelino e Pedro Gonzalez, diretor-executivo da Y&R Branding, moderados pelo jornalista José Carlos Lourinho.

Entretanto, e se perdeu a última edição, veja aqui o que disseram João Marcelino, Luís Miguel Henrique e Fernando Veiga Gomes sobre as impressionantes conclusões do “Estudo global sobre os proprietários dos clubes” desenvolvido elaborado pela Union Internacionale des Avocats (UIA), a Sport Integrity Global Alliance (SIGA) e o Centro Internacional para a Segurança no Desporto (ICSS INSIGHT), e que foi realizado em 25 países como EUA, Japão, China, México, Rússia, Turquia, Inglaterra, Espanha, Itália, França e Portugal:

Recomendadas

Sporting: “Exigências financeiras” de Bas Dost estão a impedir saída para o Eintracht Frankfurt

O clube de Alvalade diz que “já alcançou um princípio de acordo” com os alemães e que o jogador já informou o técnico Marcel Keizer que queria deixar os ‘leões’.

PremiumTáticas para contratar: da desestabilização ao custo zero

Não deveria valer tudo para contratar mas existem clubes especialistas em manobras de aquisição dos melhores talentos. Curiosamente, ou não, esses emblemas são campeões crónicos nas suas Ligas.

“No hóquei em patins, somos como a irredutível aldeia dos gauleses”

Luís Sénica, antigo selecionador nacional de hóquei em patins e presidente da Federação de Patinagem de Portugal, realçou ao Jogo Económico a resiliência da modalidade ao longo dos anos. “Somos como a irredutível aldeia dos gauleses”, realçou o líder federativo.
Comentários