Horários de trabalho da Função Pública portuguesa são dos mais curtos da Europa

Já os períodos normais de trabalho no setor privado por negociação coletiva estão entre os mais longos no continente europeu, com uma média de 39,4 horas semanais, face às 35 horas da Função Pública.

Os horários normais de trabalho da Função Pública portuguesa encontram-se entre os mais curtos da Europa, de acordo com os dados publicados na última semana pela Fundação Europeia para a Melhoria das Condições de Vida e de Trabalho (Eurofound) e que são divulgados pela edição do “Negócios” desta quinta-feira.

O relatório “Working Time in 2017-2018” indica que em sentido oposto está o setor privado onde a média de horas de trabalho semanais está nas 39,4 horas por negociação coletiva, enquanto a média europeia se situa nas 38 horas.

Estes dados baseiam-se na evolução dos contratos coletivos que englobam 721 mil trabalhadores. Olhando para o número de feriados (superior à média europeia) e de férias (inferior), Portugal ocupa o 17º lugar na estimativa de tempo normal de trabalho anual negociado  no setor privado, num conjunto de 29 países.

Por sua vez, a média da Função Pública em Portugal encontra-se nas 35,6 horas, ligeiramente abaixo da média da União Europeia (UE) que está nas 37,6 horas. A França continua a ser o país da UE onde o horário normal é mais curto, com 35 horas. A Dinamarca, a Holanda, a Suécia e o Reino Unido também registam médias baixas, ao contrário da Finlândia que saiu deste ranking, depois de em 2017 ter aumentado em meia hora o horário semanal.

Recomendadas

Autoeuropa investe 103 milhões na modernização da fábrica de Palmela em 2020

“Investir na fábrica é investir nas nossas pessoas, na nossa região e no nosso país. Com a nova linha de corte nas prensas e a automatização do armazém de logística interna aceleramos o futuro”, refere a empresa do grupo Volkswagen.

Observatório de turismo do Algarve vai integrar rede mundial da OMT

O reconhecimento do observatório regional pela OMT acontecerá dia 23, na próxima quinta-feira, durante a FITUR, a feira de turismo de Madrid à qual o Algarve regressa este ano e onde se promoverá de 22 a 26 de janeiro.

Banco de Portugal adopta ‘energia verde’ nos seus edifícios

“A transição para a nova forma de consumo de energia deverá estar concluída ainda durante o primeiro trimestre deste ano. Com esta medida, o Banco tem como objetivo reduzir a sua pegada de carbono”, explica a instituição
Comentários