Horas extraordinárias não pagas poderiam criar 64 mil empregos

No ano passado, mais de 576 mil trabalhadores fizeram horas extra em Portugal.

O número de horas extraordinárias não remuneradas que os trabalhadores portugueses fizeram no ano passado (em média mais de dois milhões e meio por semana, mais 13% do que em 2017) poderia, em teoria, levar à criação de mais 64 mil empregos a tempo inteiro.

A notícia é avançada pelo “Dinheiro Vivo”, que refere que 2018 foi o segundo ano com mais horas extraordinárias não pagas, um valor ultrapassado só em 2014, quando se registaram mais de 2,7 milhões de horas extra sem pagamento.

Segundo os cálculos do jornal, com base na informação do Instituto Nacional de Estatística (INE), em 2018, mais de 576 mil trabalhadores fizeram horas extraordinárias em Portugal, ou seja, 14,2% de todos os empregados por conta de outrem no país.

O matutino do grupo Global Media adianta que a poupança para as empresas estará perto das dezenas de milhões de euros (ainda não é possível calcular o número oficial, dado que o índice de Custo do Trabalho para 2018 ainda não foi divulgado pelo INE).

Relacionadas

Portugal é um dos países onde mais se trabalha fora de horas

Um estudo da Michael Page confirma Portugal como um dos países de proliferação do chamado ‘home office’. O governo vai atacar o problema na Concertação Social.

Mais de meio milhão de euros em horas extraordinárias no Palácio de Belém. Marcelo justifica despesa

Presidente da República justificou hoje o aumento dos gastos com horas extraordinárias com a entrada em vigor das 35 horas. Os funcionários do Palácio de Belém ganharam 523 mil euros em horas extra no ano passado, mais 70 mil do que no ano anterior.
Recomendadas

Carlos Costa escapa a exame de idoneidade a ex-gestores da CGD

Supervisor está a avaliar a responsabilidade de ex-gestores da Caixa nas decisões de negócios ruinosos do banco público. Exame exclui o governador do Banco de Portugal, também ele ex-administrador da CGD. Decisão está a gerar polémica.

O “ouro branco” está a mudar o mundo

Bolívia, Chile e Argentina são alguns dos países com as maiores reservas de lítio. Os países e as empresas que controlarem a produção deste elemento serão donos da energia do futuro.

Pescadores em Portugal são cada vez menos

Os baixos salários, as restrições à captura e a concorrência da náutica de recreio estão a fazer baixar o número de pescadores em Portugal, sobretudo no Algarve, região onde, desde 2001, o número caiu para metade.
Comentários