Huawei vê receitas aumentarem 13,1% no primeiro semestre de 2020

Empresa tecnológica chinesa vem beneficiando da crescente importância das tecnologias de informação e comunicação e compromete-se a contribuir para o desenvolvimento tecnológico global.

A Huawei anunciou receitas 64,9 mil milhões de dólares no primeiro semestre de 2020, como consta nos resultados apresentados hoje, 14 de julho. Este valor corresponde a um aumento de 13,1% em relação ao período homólogo de 2019. A margem de lucro líquido fixou-se nos 9,2%.

A gigante chinesa tem beneficiado da crescente importância de que se têm revestido as tecnologias de informação e comunicação dado o atual contexto de pandemia, que têm servido como ferramentas indispensáveis à readaptação de variados segmentos da economia à nova realidade que se vive.

Ciente deste panorama, a empresa “reiterou o seu compromisso de trabalhar com operadoras e parceiros do setor, de forma a manter a estabilidade nas operações de rede, acelerar a transição digital e apoiar os esforços para conter surtos localizados e reabrir as economias locais”, bem como de “que vai continuar a cumprir as suas obrigações junto de clientes e fornecedores, manter-se forte, trilhar o caminho rumo à economia digital e ao desenvolvimento tecnológico contribuindo para a sua globalização, independentemente dos desafios futuros que a empresa possa enfrentar”.

Recomendadas

Exportações agroalimentares sobem 0,4% até junho para 3.285 milhões de euros

Só em junho, as exportações progrediram 5,2% para 552 milhões de euros, em comparação com o mesmo mês do ano anterior, enquanto as importações recuaram 0,7% para 801 milhões de euros.

Processamento de vistos nacionais volta a estar disponível

O Ministério dos Negócios Estrangeiros confirmou ainda que o serviço para pedidos de visto nacionais pode ser feito nas “línguas portuguesa, inglesa, francesa, russa e ucraniana”

“Julho evidencia travagem na recuperação das viagens e do turismo”, alerta a EY/Parthenon

A quarta edição do “Caderno de Notas” da EY/Parthenon, sobre “A crise económica da Covid-19” – divulgada esta sexta-feira, 7 de agosto – um trabalho elaborado com a supervisão e direção científica de Augusto Mateus, strategic consultant da EY Portugal, traça a análise da crise económica ao quinto mês da pandemia.
Comentários