Identidade de ‘hacker’ do Benfica força PJ a pedir captura internacional

A Polícia Judiciária equaciona pedido de detenção internacional de pirata informático português que roubou ‘emails’ do Benfica, após a divulgação da sua identidade.

Kacper Pempel / Reuters

A divulgação da identidade do pirata informático que roubou segredos do Benfica vai obrigar a Polícia Judiciária (PJ) a alterar a estratégia de investigação e emitir um pedido de mandado de captura internacional, sabe o Jornal Económico (JE).

As autoridades policiais temem que o pirata informático Rui Pinto esteja em fuga, depois de a revista “Sábado” noticiar o seu nome e descrevê-lo como um “génio da informática mercenário” que age motivado por dinheiro, sem qualquer ligação a clubes. O JE sabe que a solicitação de captura externa deverá ocorrer nos próximos dias e que PJ continua, neste momento, a proceder a diligências sobre o caso.

Em causa está um inquérito do Ministério Público, a cargo da equipa especial para os crimes no futebol que funciona no DCIAP, que foi aberto em 2015 após uma queixa do Sporting na Justiça a 30 de setembro daquele ano, após a divulgação na internet do contrato do jogador Marcos Rojo e do treinador Jorge Jesus.

A esta queixa somaram-se, posteriormente, mais duas: uma da Doyen, um fundo de investimento no futebol e, uma semana depois, outra do Benfica já em 2017 sobre o furto de emails que revelou o relacionamento do clube da Luz com alguns árbitros e estruturas de poder do futebol português.

Recomendadas

Hoje há ‘Jogo Económico’. Qual o segredo do sucesso do andebol português?

Nesta edição, que poderá ser vista no site do ‘Jornal Económico’ e nas redes sociais esta sexta-feira às 20h00, Miguel Laranjeiro, presidente da Federação Portuguesa de Andebol, vem ao programa para debater o estado do andebol português com os comentadores João Marcelino e Leonardo Ralha.

PremiumMelhores jogadores de ténis do futuro vêm à terra batida do Estoril

João Zilhão, diretor do Millennium Estoril Open, explicou a aposta para atrair os “futuros número um do mundo” para um torneio que está “enquadrado” com a economia e o ténis nacional.

Juventus também perde no jogo da bolsa. Equipa de CR7 afunda 20% após eliminação da Champions

Já o Ajax recolhe os louros da vitória – golo do jovem Matthijs de Ligt valeu à equipa da capital holandesa uma cotação máxima nunca antes alcançada, desde que o clube entrou na Bolsa de Amesterdão, em 1998 .
Comentários