IKEA acaba com produtos de plástico nas suas lojas

Grupo sueco espera até janeiro de 2020 conseguir retirar das suas lojas todos os plásticos de uso único e descartável. Nos restaurantes e cafés, esses produtos já estão a ser retirados, Portugal incluído.

Até 1 de janeiro de 2020, a IKEA irá retirar das suas lojas todos os produtos de plástico de uso único e descartável, “como parte da sua estratégia para o desenvolvimento de um modelo de negócio cada vez mais sustentável”, refere o grupo sueco em comunicado.

Artigos como palhinhas, pratos, copos, sacos de congelação, sacos do lixo, entre outros, irão deixar de fazer parte da gama de produtos das lojas IKEA em todo o mundo. Nos restaurantes e cafés, estes produtos estão já a ser retirados em 363 lojas de 29 mercados, incluindo em Portugal.

“Esta decisão reflete o compromisso da IKEA na promoção da economia circular e dos objetivos presentes na estratégia de sustentabilidade ‘Pessoas Positivas, Planeta Positivo’”, nomeadamente: desenvolver continuamente a gama IKEA, com produtos cada vez mais sustentáveis, assegurando que todos os principais artigos de decoração para casa são renováveis, recicláveis ou reciclados e reduzir o desperdício através dos princípios do modelo de economia circular.

Mas as procurações da IKEIA vão também no sentido de propor a conceção de todos os produtos e embalagens de materiais através de materiais renováveis ou reciclados, até 2030; e a eliminação gradual de materiais fósseis e plástico nos produtos, até 2030.

“Queremos continuar a trabalhar com os nossos fornecedores e a desafiá-los, a longo prazo, a adotarem práticas mais sustentáveis para continuarmos a desenvolver a nossa gama com a garantia de que todos os materiais são reutilizáveis ou recicláveis”, refere Cláudia Domingues, responsável de Comunicação e Sustentabilidade da IKEA Portugal, citada pelo comunicado.

Para a IKEA, a escolha dos materiais é uma decisão responsável. “Atualmente, 98% das embalagens utilizadas nos produtos de mobiliário da IKEA são feitas a partir de materiais renováveis, recicláveis ou reciclados e 88% são concebidos à base de fibras naturais provenientes do papel”.

O objetivo da IKEA é “utilizar materiais que cumpram os princípios do design democrático, os compromissos com a economia circular e as necessidades das pessoas”.

Ler mais
Recomendadas

“Ainda há preconceito contra as mulheres que lideram empresas”

Na atividade profissional de ‘coaching’, Mafalda Almeida promove sobretudo a autoconfiança e a autoestima das mulheres. Mas, para além das barreiras psicológicas, acrescem vários obstáculos externos como o preconceito e a desigualdade salarial.

Quercus diz que Portugal não consegue cumprir neutralidade carbónica com exploração de lítio

Relatório sobre o impacte de emissões de CO2 da mineração de lítio em Portugal, que será apresentado na segunda-feira, aponta que, se o Governo avançar com a campanha de exploração de lítio, “Portugal não vai conseguir cumprir a neutralidade carbónica”, revela responsável da Quercus.

Mais de 60 concelhos de 11 distritos em risco máximo de incêndio

Bragança, Faro e Guarda são os distritos mais problemáticos, pois têm praticamente todo o território em risco máximo de incêndio.
Comentários