Impresa consegue reembolsar empréstimo obrigacionista de 30 milhões

Em julho de 2017 a Impresa tentou fazer uma emissão obrigacionista de 35 milhões de euros que acabou por cancelar por não conseguir colocar. Entretanto vendeu as revistas, entre as quais a Visão e a Exame, e o edifício de Paço d’Arcos ao Novo Banco, por 24,2 milhões. Com isto conseguiu pagar aos obrigacionistas o empréstimo emitido em 2014.

A Impresa – Sociedade Gestora de Participações Sociais, dona da SIC e do Expresso, anunciou em comunicado que reembolsou 30 milhões de euros de empréstimo obrigacionista denominado “Impresa
2014/2018″.

A operação deu-se hoje, dia 12 novembro de 2018, e foi um reembolso na totalidade do empréstimo obrigacionista.

Em julho de 2017 a Impresa tentou fazer uma emissão obrigacionista de 35 milhões de euros que acabou por cancelar por não conseguir colocar por falta de procura por parte dos investidores.. Entretanto procedeu à venda das revistas, entre as quais a Visão e a Exame, e vendeu o edifício de Paço d’Arcos ao Novo Banco, por 24,2 milhões de euros. Com isto conseguiu pagar aos obrigacionistas o empréstimo emitido em 2014.

Em junho a empresa liderada por Francisco Pinto Balsemão vendeu o edifício onde está o Expresso, em Paço de Arcos, ao Novo Banco tendo consequentemente assinado um contrato de arrendamento com o banco por um período de dez anos.

Recomendadas

Digitalização vai criar oportunidades para surgimento de novas empresas de outsourcing

O Jornal Económico foi ouvir alguns ‘players’ do mercado sobre a forma como a transformação digital está a revolucionar o outsourcing. No que respeita a Portugal, a opinião é de que revela uma crescente atratividade enquanto plataforma tecnológica para o desenvolvimento de software e novas tecnologias, consultoria, investigação e conhecimento.

PremiumBLAST PRO SERIES: Vai andar tudo aos tiros na Altice Arena

Lisboa está a ser palco, pela primeira vez, palco do circuito mundial de torneios de jogos eletrónicos, ou ‘eSports’. Uma indústria em crescimento vertiginoso em todo o mundo, que movimenta milhões em dinheiro, em praticantes, em audiências televisivas e em contratos de patrocínios.

Venezuela: Último jornal impresso crítico do governo deixa formato papel

O secretário-geral do Sindicato Nacional dos Trabalhadores da Imprensa diz que este é um produto do desrespeito pelo pensamento crítico e diferente.
Comentários