Incêndio em Tondela: Ministério da Saúde indica que há pelo menos 38 feridos

Pelo menos 38 pessoas ficaram feridas no incêndio de sábado numa associação recreativa em Tondela, que provocou a morte a oito pessoas, segundo dados do Ministério da Saúde.

No local foram triadas 46 vítimas dos incêndios, sendo que oito delas foram vítimas mortais.

Segundo dados transmitidos à agência Lusa por fonte oficial do Ministério da Saúde, dos 38 feridos, nove já tiveram alta hospitalar.

Treze dos feridos do incêndio estão internados no hospital de Viseu, dois deles em cuidados intensivos, segundo o presidente da administração Centro Hospitalar Tondela – Viseu, Cílio Correia.

Houve ainda 16 feridos que foram enviados para outras unidades hospitalares: cinco para o Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra, para o Porto foram três feridos para o hospital São João, dois para o Santo António e um para a Prelada – este com “prognóstico reservado”, enquanto para Lisboa foram encaminhados dois para o Santa Maria, dois para o São Francisco Xavier e um menor para o Dona Estefânia.

No local estiveram 36 meios operacionais do Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM), entre eles seis viaturas médicas de emergência e reanimação, quatro unidades de psicologia, seis ambulâncias de emergência médica e também quatro helicópteros, dois deles da Força Aérea.

Segundo os dados do Ministério da Saúde, mais de 70 elementos do INEM estiveram envolvidos.

O incêndio deflagrou durante um jantar numa associação recreativa de Vila Nova da Rainha.

A Lusa não conseguiu ainda apurar junto das autoridades as causas do incêndio.

Ler mais
Recomendadas

PremiumCadeia de Lisboa fecha até 2020, abrindo a porta a negócio de milhões

Cadeia de Lisboa será encerrada até 2020, apurou o JE. Terreno situado em pleno coração da capital vale mais de 200 milhões de euros e deverá acolher o novo Campus da Justiça. Parte do terreno ficará para a CML e poderá ter lugar a venda a privados.

Tribunal declara ilegais serviços mínimos na greve dos professores

O Tribunal da Relação de Lisboa declarou ilegais os serviços mínimos que foram decretados em julho, pelo colégio arbitral, no âmbito da greve às reuniões de avaliações.

Ordem dos Advogados quer esclarecimentos sobre o “algoritmo da Justiça”

O Conselho Regional de Lisboa da Ordem quer que o Instituto de Gestão Financeira e dos Equipamentos da Justiça preste todos os esclarecimentos sobre matéria de aleatoriedade do sistema.
Comentários