INEM ativa Sala de Situação Nacional para articular com entidades de proteção civil os efeitos do furação Leslie

O INEM vai ativar a sua sala de situação nacional a partir das 16:00 decorrente do briefing que teve lugar esta manhã no centro de coordenação nacional operacional da Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC), onde foi emitido um conjunto de informações e a elevação para laranja do estado de alerta especial para os agentes de proteção de civil

O INEM vai ativar às 16:00 de hoje a Sala de Situação Nacional para acompanhar e articular com as restantes entidades de proteção civil os efeitos da passagem do furação Leslie por Portugal.

“O INEM vai ativar a sua sala de situação nacional a partir das 16:00 decorrente do briefing que teve lugar esta manhã no centro de coordenação nacional operacional da Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC), onde foi emitido um conjunto de informações e a elevação para laranja do estado de alerta especial para os agentes de proteção de civil”, disse à agência Lusa Bruno Borges, coordenador da UPEC (unidade do INEM que gere os eventos mais complexos).

O mesmo responsável adiantou que, em função do alerta laranja, o Instituto Nacional de Emergência Médica “elevou também a capacidade de monitorização e acompanhamento das ocorrências” que se possam registar no país.

“O INEM está a ativar as medidas de contingência, o que passa por acompanhar a situação a nível nacional com a ativação da sala, tal como fazemos com os incêndios”, afirmou.

Bruno Borges explicou que a Sala de Situação Nacional do INEM tem por base fazer a articulação estratégica com as outras entidades, nomeadamente com o comando nacional de operações de socorro da Proteção Civil, PSP e GNR.

O coordenador desta unidade sublinhou que o INEM está “em permanente articulação” com a Autoridade Nacional de Proteção Civil.

“Basicamente vamos tentar antecipar os possíveis cenários que podem advir deste quadro meteorológico adverso”, disse, frisando que vai ser feita também uma articulação no âmbito da saúde, designadamente com os hospitais, Centros de Orientação de Doentes Urgentes e administrações regionais de saúde “para o caso de existir um problema maior”.

O IPMA colocou 13 distritos sob aviso vermelho por previsão de vento forte, e alguns também por agitação marítima, consequência da passagem por território continental do furacão Leslie.

Setúbal, Lisboa, Leiria, Coimbra, Aveiro, Porto, Braga, Viana do Castelo, Vila Real, Castelo Branco, Viseu e Guarda e Santarém são os distritos sob aviso vermelho, segundo as informações disponíveis na página na internet do IPMA.

O furacão Leslie vai atingir o território continental já como depressão pós-tropical, mas com ventos com “intensidades equivalentes a uma tempestade tropical”, com rajadas acima dos 130 Km/hora, mas que podem atingir máximos históricos de 180/190 km/hora, segundo disse à Lusa o meteorologista do IPMA, Nuno Moreira.

Segundo a Proteção Civil, o período crítico vai acontecer entre as 23:00 de sábado e as 04:00 de domingo.

 

Ler mais
Relacionadas

Furacão Leslie pode atingir Portugal este sábado à tarde

A tempestade pode, este sábado, atingir Portugal Continental, embora não se saiba ainda qual a dimensão dos efeitos que o mesmo pode causar.

TAP cancela voos neste sábado por causa de furacão na Madeira

Em causa está a passagem do furacão Leslie, cujos efeitos deverão fazer-se sentir na Madeira a partir de sábado, com vento forte, precipitação e trovoada, segundo o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA).
Recomendadas

Adesão à greve no Centro Hospitalar Lisboa Ocidental chegou aos 100% nalguns serviços

A adesão à greve de hoje dos enfermeiros do Centro Hospitalar Lisboa Ocidental chegou aos 100% na urgência pediátrica do Hospital São Francisco Xavier e no bloco de oftalmologia do Egas Moniz, segundo o sindicato.

Partilha gratuita de livros através de plataforma ‘online’ a partir de hoje

Uma plataforma ‘online’ de partilha de livros, que pretende afirmar-se como um “ponto de encontro dos amantes de leitura”, vai estar disponível a partir de hoje para todos os que se quiserem registar e começar a trocar livros.

Falhar o combate contra o aquecimento global “não seria apenas imoral, seria suicida”, diz António Guterres

O secretário-geral da Organização das Nações Unidas (ONU) alertou os representantes presentes na cimeira do ambiente que se não aumentarem os esforços em relação às alterações climática, os resultados serão “não apenas imorais, mas suicidas” para o planeta.
Comentários