Inflação avança em fevereiro na zona euro e UE, Portugal com a quarta menor

As taxas anuais de inflação mais fracas foram observadas na Irlanda (0,7%), na Grécia, na Croácia e em Chipre (0,8% cada) e em Portugal (0,9%).

A taxa anual de inflação acelerou, em fevereiro, 1,5% na zona euro e 1,6% na União Europeia (UE), com Portugal a registar a quarta menor (0,9%), segundo divulga hoje o Eurostat.

De acordo com o gabinete estatístico europeu, na zona euro, os 1,5% de inflação em fevereiro comparam-se com os 1,1% do mesmo mês de 2018 e aos 1,4% registados em janeiro.

Na UE, a subida de preços foi de 1,6% em fevereiro, acima da de 1,4% homóloga e de 1,5% de janeiro.

As taxas anuais de inflação mais fracas foram observadas na Irlanda (0,7%), na Grécia, na Croácia e em Chipre (0,8% cada) e em Portugal (0,9%).

Já as subidas mais fortes de preços foram registadas na Roménia (4,0%), Hungria (3,2%) e Letónia (2,8%).

Face a janeiro, a inflação anual recuou em sete Estados-membros, manteve-se estável num e aumentou nos outros 19.

Em Portugal, a inflação acelerou para os 0,9%, face aos 0,6% de janeiro e aos 0,7% de fevereiro de 2018.

Ler mais
Recomendadas

Rio recusa soluções para professores em que parlamento se substitua ao Governo

O líder do PSD voltou a defender que o tempo que esteve congelado “deve contar na globalidade” e que os sete anos ainda não contabilizados pelo executivo deveriam resultar de um equilíbrio entre vários fatores.

Rui Rio: “Défice foi alcançado à custa de um enorme aumento de impostos”

O presidente do PSD considerou que, face ao andamento da economia internacional que permitiu algum crescimento, “o Governo poderia, com grande facilidade, ter conseguido um resultado substancialmente melhor”, “perto do equilíbrio orçamental”.

Marcelo sobre as relações familiares no Governo: “Família de Presidente não é Presidente”

“Tenho sobre essa matéria uma posição muito pessoal, ao longo da minha vida política e também agora no exercício da presidência, que é o entender que família de Presidente não é Presidente. E portanto nisso peco por excesso, no sentido de entender que deve haver uma visão, sobretudo num órgão unipessoal como é o Presidente, mas tem marcado a minha vida, que é de não confundir as duas realidades”, referiu. o Presidente da República.
Comentários