Inflação em Portugal acelerou para 1,6% em julho

Estimativa rápida do Índice de Preços no Consumidor, divulgada pelo Instituto Nacional de Estatística, explia esta evolução com o aumento dos preços da energia.

Cristina Bernardo

A inflação em Portugal terá acelerado 0,1 pontos percentuais, em julho, face a junho, para 1,6%, devido à evolução dos preços da energia, segundo a estimativa rápida do Índice de Preços no Consumidor (IPC), divulgado pelo INE esta terça-feira, 31 de julho.

Em comunicado, Instituto Nacional de Estatística (INE) explica que “o índice relativo aos produtos energéticos terá acelerado, estimando-se uma taxa de variação homóloga de 7,8% em julho”.

A aceleração da inflação dos preços dos produtos energéticos, face a junho, terá sido de 0,32 pontos percentuais, enquanto face a igual mês do ano passado, o ritmo de aumento dos preços mais do que duplicou, passando de 3,75% para 7,78%.

A variação homóloga (face a igual mês do ano anterior) estimada do indicador de inflação subjacente (índice total excluindo produtos alimentares não transformados e energéticos) em julho é de 1% (idêntico ao valor observado em junho).

Estima-se que o Índice Harmonizado de Preços no Consumidor (IHPC) português tenha registado uma variação homóloga de 2,2% (o valor observado em junho foi 2%).

O INE divulgará os dados definitivos da inflação de julho a 10 de agosto.

O INE iniciou a publicação de estimativas rápidas do IPC em janeiro de 2017, “em linha com as práticas seguidas pelo próprio Eurostat e por alguns institutos de estatística de Estados-Membros da União Europeia”, como explicaram os responsáveis pelo instituto ao Jornal Económico.