Inteligência Artificial traz diretor-geral da Comissão Europeia ao Porto e Braga

Khalil Rouhana termina esta terça-feira uma visita de dois dias a Portugal, onde veio avaliar o que está a ser feito ao nível do desenvolvimento da área da Inteligência Artificial.

O diretor-geral Adjunto da Direção Geral das Redes de Comunicação, Conteúdos e Tecnologias da Comissão Europeia (DG Conect), Khalil Rouhana, aterrou em Portugal esta segunda-feira com o propósito de visitar diversas instituições e empresas em Braga e no Porto. Para Bruxelas levará informação do que está a ser feito em termos do desenvolvimento da área da Inteligência Artificial (IA) em Portugal, tendo em conta a intenção da Comissão Europeia de lançar um concurso, no âmbito do Horizonte 2020, para a criação de uma rede de centros de excelência em IA.

O dia de hoje, terça-feira, de manhã, é passado na Altran Portugal no Porto. Nas instalações desta multinacional, Rouhana, acompanhado do ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Manuel Heitor, avaliará, em particular, os projetos de automotive que a Altran desenvolve, a partir de Portugal para os seus clientes do setor automóvel e a aposta da multinacional nos recursos humanos altamente qualificados.

Da parte da tarde, Khalil Rouhana participa no debate “Building Digital Ecosystems for Innovation, Industrial Competitiveness and Convergence”, promovido por Manuel Heitor, no Laboratório Internacional Ibérico de Nanotecnologia, em Braga.  O debate centrar-se-á na discussão da estratégia nacional em Inteligência Artificial (AI Portugal 2030) em preparação no âmbito da Iniciativa Nacional Competências Digitais (INCoDe.2030).

Recomendadas

Portugueses estão mais tecnológicos. Compras de ‘gadgets’ aumentam 6,9% em 2018

As telecomunicações apresentam o maior crescimento, com lucros de 1,1 mil milhões de euros, enquanto a fotografia fechou 2018 a perder alcançando 46 milhões de euros.

WhatsApp Business chega (finalmente) ao sistema iOS

Um ano depois de ter sido lançada para Android, a versão para empresas da aplicação de mensagens instantâneas está a chegar aos iPhones.

Espionagem? Ao contrário dos EUA, Reino Unido não está preocupado com a chinesa Huawei

A descoberta surge apesar dos esforços dos EUA para persuadir os países a barrar a Huawei de suas redes, com base no fato de que isso poderia ajudar a China a realizar espionagem ou sabotagem cibernética. 
Comentários