Inteligência emocional: em nome da liderança

Pela primeira vez, o Centro de Congressos de Lisboa será palco do World Leadership Forum. O evento reúne líderes empresariais de todo o mundo e irá realizar-se nos próximos dias 21 e 22 de Maio.

Estratégias de liderança que causem impacto positivo nas organizações que dirigem, este é o principal lema do World Leadership Forum. Organizado pela WOBI, World Business Ideas, os mesmos organizadores do World Business Forum, em Madrid e em mais nove cidades à volta do Mundo. Com a duração de dois dias, esta conferência pretende mostrar a importância que um líder deve ter na organização do mundo empresarial, assumindo-o como crucial na sua evolução. O objectivo? Criar empresas que tenham um objectivo claro, focado no desempenho e assentes em valores. Para isso, é fundamental alterar o papel do líder e a forma como se move na empresa. Líderes menos controladores e mais ágeis que permitam o equilíbrio perfeito entre ordem, engenho e capacidade de adaptação.

A criatividade está no centro das atenções

Quais as ferramentas para desenvolver uma forte liderança? E quais as competências necessárias para que a auto-gestão seja uma realidade e promova um elevado desempenho? A resposta a esta e muitas outras questões pertinentes e actuais, o World Leadership Forum contará com a colaboração de vários oradores que darão o seu contributo para que todos estes desejos sejam, a curto prazo, uma realidade. Os motes, são quatro: criar, transformar, conseguir e liderar. Sarah Lewis é especialista em criatividade e inovação. Professora em Harvard e emergiu como figura de destaque cultural pelas suas perspetivas inovadoras sobre o diálogo entre cultura, história e identidade. É historiadora cultural na Universidade de Harvard e autora do livro “The Rise: Creativity, the Gift of Failure, and the Search for Mastery” que mostra como, por vezes, aquilo que habitualmente chamamos de falha, pode fornecer as bases para transformações improváveis e, até, icónicas. O médico Mario Alonso Puig é cirurgião e especialista em motivação, criatividade e comunicação. Formado em Harvard, dedicou grande parte da sua vida a explorar o impacto dos processos mentais no desenvolvimento do nosso talento e nos níveis de saúde, energia e bem-estar que sentimos e a investigar como é que o potencial humano reage, especialmente em momentos de desafio, incerteza e mudança. Criativo de profissão e ilusionista de coração, Juan Pablo Neira é um detonador de emoções e um dos mais reconhecidos conferencistas e especialistas em apresentações corporativas da América Latina. O autor do best-seller “Imagine: creer para crear e de Las Grandes marcas en Colombia”. Investigadora do papel da liderança no Mundo sobre o futuro do trabalho e do comportamento organizacional, Lynda Gratton trabalhou em empresas de todo o Mundo para criar uma imagem do Futuro do Trabalho. Também é Professora de Práticas de Gestão na London Business School, considerado o programa líder mundial em recursos humanos. O seu livro de 2012, “The Shift”, analisa o impacto do mundo em mudança nas práticas e processos empresariais e em liderança. Magnus Scheving é empreendedor e criador, realizador e protagonista da série infantil de televisão Lazy Town. Magnus tirou partido da sua criatividade fervilhante e do espírito empreendedor para transformar uma ideia para promover a saúde e a nutrição das crianças através de uma marca global respeitada. Autoridade inquestionável em inteligência emocional, os contributos de Daniel Goleman para a área da psicologia tiveram um impacto transformacional no mundo dos negócios e não só. É considerado pelo Wall Street Journal e pelo Financial Times como um dos pensadores mais influentes da área dos negócios, e é autor de inúmeros best-sellers, incluindo Inteligência Emocional e Foco. A Harvard Business Review designou a inteligência emocional — que descarta o QI como a única medida para as capacidades de qualquer pessoa — como “uma ideia revolucionária e destruidora de paradigmas” e escolheu o artigo “What Makes a Leader” como um dos dez artigos fundamentais das suas páginas.  Goleman tem recebido muitos prémios jornalísticos pelo seu trabalho, incluindo duas nomeações para o Prémio Pulitzer, e um prémio Career Achievement de jornalismo da American Psychological Association. O seu best-seller de 2014, “Foco: o Motor Oculto da Excelência”, argumenta que a liderança que conduz a resultados exige um triplo foco: em nós, nos outros, para as nossas relações, e nas forças externas que moldam as organizações e a sociedade. O livro de Goleman “The Focused Leader” venceu o Prémio HBR McKinsey de 2013, atribuído todos os anos ao melhor artigo da Harvard Business Review.

Transformar energia em acções, por e para pessoas

O World Leadership Forum é um evento único a nível global no qual se debatem e expõem ideias que possam ter uma grande relevância tanto a nível profissional como pessoal. Por serem abordados muitos temas sobre o mesmo assunto, o cérebro é “bombardeado” por uma imensidão de inputs que reequacionam a forma como se quer liderar. Uma ferramenta fundamental para ganhar confiança e perceber que não há gurus… apenas pessoas que poderão ajudar a transformar energia em acção, tendo em vista o bem comum. Até porque, o mais importante é distinguir liderança e gestão, dois conceitos que habitualmente se confundem. Mario Alonso Puig explica: “A gestão trata de processos e a liderança de pessoas. Por isso, há seis aspectos que um líder deve ter em conta, não para motivar, mas para inspirar a sua equipa: gostar das pessoas, acreditar nelas, valorizá-las, apoiá-las e acompanhá-las. Tudo isto é impossível se o líder não passar tempo com os membros da equipa, conhecendo os seus desejos e as suas lutas internas.” Se as empresas hoje em dia têm particularidades que as distinguem de outrora, também a liderança deve acompanhar a realidade que são. Esta é a principal razão que faz destes encontros, uma mais-valia fundamental no dia-a-dia da sua empresa: “O mundo precisa de ideias novas, novas abordagens e métodos. Muitos dos empregos que existem, amanhã já não existirão. Os novos empregos precisam de novos skills e de motivações diferentes. O  é, em parte, uma plataforma para que isso seja possível.”

 

 

Este artigo foi produzido em colaboração com a WOBI – World Business Ideas.

Ler mais
Recomendadas

‘Portugal Inteiro’: descentralização continua a ser um imperativo de desenvolvimento

Silva Peneda, presidente do Conselho Geral da UTAD, e Rui Santos, presidente da Câmara de Vila Real, convergem na necessidade de o país largar as amarras das áreas metropolitanas.

Digitalização permite aproximar interior de “novos investimentos”, diz vice-presidente da IP Bragança

O que faz falta é que o interior afirme as suas qualidades: melhor nível de vida, mais tempo, menos tensão. As autoestradas digitais tornam a geografia um mero pormenor.

Inovação é a forma de manter população no interior

A aposta na inovação é um dos factores fundamentais para a criação de condições para a fixação de talento no interior. O tema ‘Como fomentar a inovação no interior?’ foi debatido no ciclo de conferências ‘Portugal Inteiro’, resultado da parceria entre a Altice e o Jornal Económico.
Comentários