PremiumLuís Todo-Bom: “Investimento estrangeiro não tem feito alterações significativas”

O investimento estrangeiro que tem entrado em Portugal recentemente não tem feito nenhuma alteração significativa na nossa estrutura produtiva. Nenhuma, diz o gestor, membro do Conselho Consultivo do PSD.

O dinheiro da UE a que vamos ter acesso poderá servir como catalisador de mais investimento estrangeiro concretizável em Portugal? Poderá servir de plataforma para continuarmos um trabalho já desenvolvido, atraindo mais projetos como os da Mercedes e da BMW, e das empresas que vieram para Portugal em áreas de muito alta tecnologia?
O investimento estrangeiro que tem entrado em Portugal recentemente não tem feito nenhuma alteração significativa na nossa estrutura produtiva. Nenhuma. Entraram investimentos para call centres… Mais: grande parte do investimento tem pouco ativo fixo, e portanto precisamos de atrair dinheiro estrangeiro diferente do que temos atraído. Hoje em dia, raramente o investimento estrangeiro faz uma fábrica nova. Aquilo que aconteceu com a Autoeuropa já é raro. As fábricas, com robotização, estão a regressar ao seu território original. Se a AutoEuropa fechar, os carros que lá são produzidos passam a ser fabricados na Alemanha. Grande parte do investimento internacional é feito em parceria com as empresas locais. Há grupos com alguma dimensão onde essas parcerias são úteis e funcionam.

Conteúdo reservado a assinantes. Para ler a versão completa, aceda aqui ao JE Leitor

Recomendadas

‘Falcões’ vs ‘pombas’ no BCE. Lagarde vai dar sinal forte, mas tensões devem adiar estímulos

O banco central da zona euro está novamente dividido entre os que querem mais estimulos já e os que preferem aguardar. Christine Lagarde tem espaço de manobra e deverá aguardar até dezembro, quando tiver novas projeções e melhor visão sobre riscos politicos. A mensagem de hoje deverá ser, portanto, de promessa de agir face ao aumento de riscos.

Topo da agenda: o que vai marcar a atualidade esta quinta-feira

O tema em destaque nesta quinta-feira é a reunião com os governadores do Banco Central Europeu. Na Assembleia da República o dia ficará marcado pelas audições ao Tribunal de Contas e ao ministro da Ciência sobre o Orçamento do Estado para 2021. O INE vai publicar estatísticas relativamente às empresas, ao turismo e desemprego.

Corrida à liderança da OCDE gera tensões entre EUA e Europa

A nomeação para o cargo poderá, segundo alguns analistas e políticos próximos da organização, definir o futuro da globalização. As diferentes preferências europeias e americanas podem levar a mais um foco de tensão entre os dois blocos, sendo que, caso Joe Biden vença, levanta-se a questão sobre a sua escolha para o cargo, que deverá diferir da expressa pelo presidente Trump.
Comentários