IRS: Retenção na fonte vai separar salário e trabalho extraordinário

A proposta de alteração apresentada pelo ministro das Finanças, Mário Centeno, aos parceiros sociais tem como objetivo evitar que por uma diferença de um euro um trabalhador suba de escalão e pague mais impostos.

Cristina Bernardo

O Governo estará a planear alterar a aplicação da retenção na fonte do Imposto sobre o Rendimento das Pessoas Singulares (IRS) para trabalhadores que recebam o salário e rendimentos referentes a trabalho suplementar, o que poderá dizer respeito a horas extraordinários ou feriados, segundo confirmaram fontes da concertação social ao Dinheiro Vivo.

As taxas aplicadas à retenção na fonte são referentes à totalidade do rendimento, ao contrário do que acontece com os escalões do IRS que são progressivos. O que acontece é que uma diferença de, por exemplo, um euro pode levar a que o trabalhador suba de escalão e pague mais impostos.

A proposta de alteração apresentada pelo ministro das Finanças, Mário Centeno, aos parceiros sociais tem como objetivo evitar que tal aconteça. O que não se sabe ainda é se os rendimentos do trabalho suplementar serão tributados de forma independente do salário ou se a retenção na fonte passará a ser feita com base numa média do rendimento mensal, segundo escreve o Dinheiro Vivo.

Recomendadas

Um ministro das Finanças e um orçamento comum, as receitas de Blanchard para a Zona Euro

O antigo economista-chefe do FMI traçou o caminho para uma política monetária e orçamental mais coordenada para a zona euro. Além da criação de um posto de ministro das Finanças, Olivier Blanchard disse que é essencial agilizar as políticas sobre o défice e sugeriu um orçamento comunitário comum.

Governo estuda emissão de obrigações para empresas industriais

O Governo está a estudar lançar emissões de obrigações agrupadas para vários setores, nomeadamente o industrial, depois de anunciar hoje uma operação destinada a empresas de turismo, de acordo com o ministro Adjunto e da Economia.

“A economia está a arrefecer”, alerta banco central da Alemanha 

O Bundesbank, banco central alemão, considerou esta segunda-feira que a economia da Alemanha está a abrandar após um período de grande prosperidade, mas espera uma estabilização no segundo semestre do ano.
Comentários