PremiumISEG estabelece estratégia para conquistar o mundo

Clara Raposo, presidente do ISEG, avança ao Educação Internacional as linhas mestras da estratégia de internacionalização para os próximos quatro anos: reforçar as licenciaturas de duplo grau, apostar no uso da língua inglesa e aumentar as parcerias com escolas de renome.

“Temos muito para fazer em diferentes frentes. Uma das frentes é a internacionalização do ISEG.” Clara Raposo, recentemente eleita presidente da escola de Economia e Gestão da Universidade de Lisboa, primeira mulher a ocupar o cargo em 107 anos da instituição, elogia o trabalho feito pelos seus antecessores, mas eleva a fasquia: “Queremos ter uma maior afirmação internacional”.

A estratégia para atingir semelhante desiderato assenta basicamente em três pilares: Reforçar as licenciaturas de duplo grau, apostar no uso da língua inglesa e aumentar as parcerias com escolas de renome.

O ganho das licenciaturas de duplo grau é evidente: “Permitem-nos ter bons parceiros internacionais, que nos tornam conhecidos noutras partes do mundo”. Nesta área, o pontapé de saída foi dado, já, este ano, com o estabelecimento de uma parceria entre o ISEG e a Universidade de Kozminski, a escola de negócios da Polónia melhor posicionada nos rankings internacionais do setor.

 

Conteúdo reservado a assinantes. Para ler a versão completa, aceda aqui ao JE Leitor.

Relacionadas

ISEG prevê crescimento de 2,3% no terceiro trimestre

Grupo de análise económica sinaliza que no terceiro trimestre os níveis de confiança se mantiveram elevados nos setores empresariais, não tendo subido, ainda que tenham descido entre os consumidores.

Licenciatura de Finanças do ISEG vai dar dois diplomas

O ISEG lança licenciatura em Finanças de duplo grau, em parceira com a Universidade polaca de Kozminski, sem pagamento de propinas adicionais.
Recomendadas

PremiumMadeira Wine Company mergulha na ciência para aprimorar Vinho da Madeira

Desenvolvimento de estudos científicos permitiu dar um salto qualitativo em termos da produção do Vinho da Madeira, diz Francisco Albuquerque, diretor de vinhos da Madeira Wine Company.

PremiumJaponeses da Marubeni querem assumir 100% da AGS

Grupo nipónico quer comprar à INCJ os 50% que não detém na gestora de concessões de abastecimento de águas e de tratamento de águas residuais.

PremiumCredores ameaçam tomar controlo da Brisal

Credores exigem 326 milhões à Brisal e uma redução do ‘fee’ anual de 12 milhões que a Brisa recebe pela manutenção da A17. Estado terá de validar ‘step in’. Brisa rejeita estratégia dos fundos – que pretendem retorno de 269% – e quer acordo que garanta viabilidade económica da concessão.
Comentários