ISEG revê em baixa projeção de crescimento económico português

Os economistas do ISEG apontam para um crescimento do produto interno bruto este ano entre 2,2% e 2,6%, mas sublinham que a projeção é condicionada por um fator de incerteza adicional resultante do atual momento de tensão nas relações comerciais internacionais.

Ler mais

Os economistas do Instituto Superior de Economia e Gestão (ISEG) estão menos confiantes sobre o desempenho da economia em Portugal este ano. Na Síntese de Conjuntura de junho, o ISEG reviu em baixa a projeção para a expansão do produto interno bruto (PIB), apontando para um intervalo entre 2,2% e 2,6%.

“Para a totalidade do ano de 2018, tendo em conta o observado no primeiro trimestre em Portugal e na área euro, e que se traduziu por uma desaceleração do ritmo de crescimento nas duas áreas, há lugar a uma revisão em baixa do intervalo de previsão anteriormente assumido para o crescimento da economia portuguesa em 2018”, refere o documento, publicado esta sexta-feira.

No primeiro trimestre do ano, a desaceleração do crescimento do PIB para 2,1% em termos homólogos aconteceu num contexto de efeitos temporários adversos, explicam os economistas.

Acrescentam que a principal causa direta em Portugal foi uma desaceleração das exportações superior à das importações. Também na área euro se registou uma desaceleração do crescimento por razões semelhantes.

“A evolução dos indicadores de confiança até maio mostra que, em termos gerais, no segundo trimestre os níveis de confiança voltaram a melhorar depois de um recuo no início do corrente ano. Os primeiros dados quantitativos relativos ao segundo trimestre sugerem um menor crescimento do consumo privado, um maior crescimento do investimento e um contributo menos negativo da procura externa líquida”, explicam.

Face ao início do ano menos favorável, os economistas do ISEG assumem um crescimento real em torno de 0,3% para o consumo público, 2,2% para o consumo privado, de 7% para o investimento. A projeção é que as exportações cresçam 5,5% e as importações 6%.

Estes cálculos, levaram à estimativa de um crescimento em volume do PIB em 2018 entre 2,2% a 2,6%, o que compara com os 2,3% estimados pelo Governo para este ano. “Esta revisão é condicionada por um fator de incerteza adicional resultante do atual momento de tensão nas relações comerciais internacionais que pode vir a penalizar o crescimento económico mundial”, sublinha o ISEG.

Relacionadas

ISEG: confiança na economia portuguesa manteve-se estável em maio

“O índice de confiança do ISEG apurado para maio e relativo à evolução da atividade económica portuguesa no curto prazo foi de 35,3 o que, no essencial, corresponde a uma estabilização”, refere o instituto.

ISEG: tendência económica deverá melhorar no segundo trimestre

A estimativa para o período entre abril e junho segue-se a um primeiro trimestre em que o produto interno bruto (PIB) português cresceu 2,1% na comparação homóloga e 0,4% face ao trimestre anterior.
Recomendadas

Floresta diversificada resiste melhor a fogos e secas, revela estudo

Investigadores liderados pelo biólogo William Anderegg, da Universidade de Utah, nos Estados Unidos, concluíram que uma floresta com uma grande variedade de árvores e de características diversas relacionadas com o fluxo da água sofre menos com os períodos de seca.

Superbrands: há uma marca portuguesa entre as 10 preferidas pelos consumidores

Dentro dos setores avaliados, aqueles mais relevantes são os de motores, eletrónica e moda de consumo, superfícies comerciais e desporto.

Prozis Tech Maia vai representar investimento superior a 15 milhões de euros

Já está em curso o processo de recrutamento para a entrada imediata de 300 colaboradores, sobretudo nas áreas da programação e dos sistemas informáticos.
Comentários