IVAucher. Portugueses acumularam 21,2 milhões de euros em junho

O valor acumulado em junho corresponde a um  acréscimo de 48% face ao valor registado em junho de 2020, ficando apenas dois  milhões  de euros abaixo do cenário pré-pandemia. Feitas as contas, o Governo estima que o impacto do Programa IVAucher seja, para já, de pelo menos 42,4 milhões de euros

IVaucher

Cerca de dois meses depois do IVAucher ter sido lançado, o Governo anunciou esta quinta-feira que os portugueses conseguiram acumular no total 21,2 milhões de euros, alertando, no entanto, que ainda falta um mês dado que o período de acumulação vai até 31 de agosto. Até à data já se registaram  mais de 102 mil adesões de consumidores no programa “do IVA que vai e volta”.

A iniciativa que permite acumular o IVA nos sectores do alojamento, cultura e restauração, registou durante o mês de junho 6.221.813 faturas com indicação de Número de Identificação Fiscal (NIF). “O referido número de faturas emitidas com o NIF de consumidores nos sectores abrangidos pelo Programa IVAucher corresponde a um  acréscimo de 34% face a junho de 2020, e a consumos no total de 167 milhões de euros”, lê-se na nota divulgada às redações.

O gabinete de João Leão adianta na mesma nota que  o valor acumulado em junho superior a 21,2 milhões de euros,  corresponde a um  acréscimo de 48% face ao valor registado em junho de 2020, ficando apenas dois  milhões  de euros abaixo do cenário pré-pandemia, em junho de 2019. Feitas as contas, o Governo estima que o impacto do Programa IVAucher seja, para já, de pelo menos 42,4 milhões de euros.

Tal como anunciado, para utilizarem o valor acumulado, o que poderá acontecer a partir de 1 de outubro, basta que os utilizadores adiram ao programa IVAucher (através da associação do cartão bancário ao respetivo NIF).

Recorde-se que o IVAucher é um programa do Governo, com caráter temporário, “criado com o objetivo de dinamizar o consumo nos sectores mais afetados pela pandemia”, permitindo aos consumidores que acumulem o valor do IVA pago no alojamento, cultura e restauração, e usá-lo posteriormente como forma de benefício nestes sectores.

Este programa divide-se, depois, em duas fases:

Entre 1 de junho e 31 de agosto, os consumidores podem acumular o valor do IVA pago nas compras efetuadas nos três setores referidos. Para tal, basta pedirem fatura com o NIF; Já durante a segunda fase, entre 1 de outubro e 31 de dezembro, os consumidores podem utilizar
o benefício acumulado em qualquer dos três setores abrangidos, até ao limite de 50% por compra

 

Relacionadas

Blueticket e Ticketline aderem ao IVAucher. Vai poder descontar saldo em bilhetes para concertos e eventos

Assim, as duas plataformas vão permitir que os consumidores descontem, a partir de 1 de outubro, o valor do IVA acumulado entre junho e agosto

Terminais da Viva Wallet vão estar ligados ao IVAucher

A fintech grega é um dos operadores de pagamento que irá disponibilizar aos comerciantes a possibilidade de os seus clientes terem descontos imediatos no terminal dos sectores abrangidos pelo programa.

“IVAucher, o IVA que vai e volta”. Saiba como funciona este programa

O Governo lançou o programa “IVAucher: o IVA que vai e volta”, que permite acumular o IVA gasto em alojamento, restauração ou cultura, entre os meses de junho e agosto, e utilizá-lo em forma de desconto. Veja este vídeo explicativo elaborado pelo Governo.
Recomendadas

Costa criticado à esquerda e à direita por declarações sobre a Galp

Os vários partidos políticos deixaram críticas sobre o ataque de António Costa à Galp pelo encerramento da refinaria de Matosinhos. Se à esquerda foi criticado pelas declarações que consideram ser tardias, à direita apontaram que em maio teve declarações contraditórias.

Descida do IVA na restauração ajudaria a capitalizar empresas mas deve ser temporária, diz ex-Secretário dos Assuntos Fiscais

O antigo secretário de Estado dos Assuntos Fiscais Carlos Lobo considera que deveria ser equacionada uma descida do IVA para a restauração – como o setor tem reclamado – sinalizando que a medida, a ser adotada, teria de ser temporária.

Mais de 32 mil contribuintes receberam planos para pagarem IRS em prestações

A Autoridade Tributária e Aduaneira (AT) criou um total de 32.158 planos de pagamento em prestações oficiosos para IRS, disse à Lusa fonte oficial do Ministério das Finanças.
Comentários