Já foram doados mais 34 milhões de euros para a luta contra a Covid-19

O “Observatório de Doações da Covid-19” destaca as fundações como os principais doadores. A Fundação Gulbenkian lidera a lista dos ao disponibilizar um fundo de cinco milhões.

O “Observatório de Doações Covid-19”, da autoria dos Aliados Consulting e da FES Agency, estima terem sido feitas doações na ordem dos 34 milhões de euros para a luta contra do surto do novo coronavírus em Portugal.

De acordo com o comunicado, enviado esta sexta-feira às redações, no que diz respeito ao destino das doações, é possível conferir que mais de 33% destas teve como propósito a compra de ventiladores, o que equivale a mais de 11 milhões de euros. Na listagem de doadores corporativos e fundações, destacam-se os 5 milhões de euros disponibilizados pela Fundação Calouste Gulbenkian através de um fundo de emergência para a COVID-19.

Na nota, a diretora executiva da Aliados Consulting, explica que “o Observatório de Doações tem como principal objetivo inspirar e continuar a promover esta solidariedade global a que se tem assistido nos últimos tempos. A luta contra este novo vírus faz-se com o apoio de todos e, enquanto recolhíamos informação para lançar esta plataforma, foi interessante verificar que a ajuda tem tomado diversas formas, e vindo de todos os setores”.

De acordo com os Aliados Consulting e a FES Agency, as fundações são os principais doadores, tendo em conta que já disponibilizaram quase 6 milhões de euros.

 

Recomendadas

Pandemia com tendência crescente entre população acima dos 80 anos

Apesar de manter uma intensidade reduzida e incidência estável, o que resulta em baixa mortalidade e pressão nos serviços de saúde, a pandemia volta a dar sinais de crescimento em quase todas as regiões do país, com o R(t) a nível nacional a chegar a 1,00.

Vacinação simultânea contra gripe e Covid-19 arranca na segunda-feira

De acordo com a DGS, a coadministração de vacinas é uma prática de vacinação realizada em Portugal e no mundo, no âmbito dos Programas Nacionais de Vacinação, que visa otimizar os esquemas vacinais recomendados.

Mais de metade das empresas nacionais considera ter “tido sorte” em sobreviver ao impacto da pandemia

A perspectiva de uma desaceleração económica também se reflete no estudo da Intrum, com 62% das empresas europeias a afirmar que uma recessão pode estar iminente no seu país, valor superior aos 56% que afirmaram o mesmo em 2020.
Comentários