Já há interessados em construir várias mega-centrais solares de mil megawatts em Portugal

“Já tivemos a manifestação de interesse de três ou quatro projetos em torno de 1 gigawatt (GW)”, revelou João Galamba.

Portugal pode vir a ter três ou quatro mega-centrais solares com mil megawatts (MW) cada uma no futuro. Apesar de nada ainda estar fechado, o Governo revelou que já recebeu manifestações de interesse para construir estes projetos por parte de investidores.

“A nossa estratégia é bastante diversificada, não apostamos numa linha única, não metemos os ovos todos no mesmo saco. Apostamos em centrais de média e de grande dimensão por via dos leilões, entre 10 a 200 MW, é o tipo de projetos que admitimos nos leilões”, começou por explicar o secretário de Estado da Energia na terça-feira, 11 de junho.

“Mas permitimos, através da alteração que fizemos na legislação, que à margem do leilão, através da submissão de um pedido aos operadores de rede, mas feito via DGEG [Direção-Geral de Energia] o investimento direto do reforço de rede, aí sim abrimos espaço para projetos de grande dimensão”, segundo disse João Galamba em declarações aos jornalistas à margem do “Africa Energy Forum” que decorre esta semana em Lisboa.

“Não impomos que sejam de grande dimensão, mas pela natureza dos investimentos é expectável que seja de grande dimensão. Já tivemos a manifestação de interesse de três ou quatro projetos em torno de 1 gigawatt (GW). São esse tipo de projetos que agora, em articulação com a DGEG e o operador da rede de transporte, verão as condições necessárias de investimento para criar espaço na rede para esse tipo de projeto, obviamente que serão muito bem vindos, caso apareçam, cabe-nos a nós criar condições para que possam aparecer, foi isso que fizemos”, revelou.

Se estas mega-centrais avançarem, então as metas para os leilões vão ser reduzidas. “Isto é tudo um pouco interativo, isto está tudo ligado”.

O primeiro leilão de energia solar vai ter lugar na “primeira quinzena de julho” e visa atribuir potência no valor de 1.400 MW. As inscrições para o leilão vão ter lugar numa plataforma online criada especificamente para o efeito. “O site ficou online no sábado [8 de junho], no dia 17 começam as inscrições no site, até 30 de junho, e esperamos ter grande procura. Depois o leilão decorrerá eletronicamente no OMIP, em julho caberá depois ao júri que será nomeado pela DGEG em articulação com o OMIP, com os participantes que inscrevem e ficarem qualificados. O leilão será depois lançado na primeira quinzena de julho”.

Sobre a sessão de esclarecimento a investidores que teve lugar na passada quinta-feira, 7 de junho, o governante diz que a mesma foi “muito participada”.

“Foi uma excelente sessão de esclarecimento, muito participada, tivemos que mudar de sala para acomodar tanta procura, tínhamos muita gente, cerca de 350 pessoas, de promotores nacionais e internacionais, empresas europeias e fora do espaço europeu, bancos, escritórios de advogados. Procurámos explicar as alterações que fizemos na lei, e depois as regras do leilão detalhadamente com a disponibilização dos mapas onde a capacidade esta disponível e os pontos de rede todos”, adiantou João Galamba.

Ler mais
Relacionadas

“Turista energético”: Governo disposto a analisar criação de lista negra de devedores na luz e gás

Associação de comercializadores quer criar uma lista negra de devedores na luz e gás para travar a troca de fornecedor por parte de consumidores quem não saldam as suas dívidas, de forma a travar o “turista energético”, segundo a ACEMEL. Governo está disposto a analisar a proposta, em conjunto com o regulador ERSE.

900 milhões de euros: Região Centro, Lisboa e Vale do Tejo recebem a maior fatia de novos investimentos em energia solar

O Governo prevê mais de mil milhões de investimentos por parte de investidores privados. Região Centro, Lisboa e Vale do Tejo recebem a maior fatia, mas Alentejo e Algarve também são contemplados.

Leilão de energia solar atrai centenas de investidores

O Governo vai fazer uma apresentação do leilão de energia solar aos investidores. A sessão de apresentação do leilão que vai ser lançado em julho conta com mais de 300 inscrições.
Recomendadas

Zero alerta para falhas perigosas na gestão de resíduos eletrónicos

A associação Zero saudou hoje o reforço das inspeções à gestão de Resíduos de Equipamentos Elétricos e Eletrónicos, alertando para ilegalidades no tratamento destes lixos que colocam em perigo a saúde e o ambiente.

À procura de petróleo. Trump abre área protegida no Ártico para perfurar

A Liga para a proteção da vida selvagem no Alasca garantiu que a notícia não é surpresa para ninguém mas que “a administração escolheu a alternativa mais agressiva de leasing, sem fingir que é para proteção ou restrição”.

Quanto vai custar a falta de adaptação às alterações climáticas?

Os chefes de estado e setores privados devem preparar-se para investir 1,8 biliões de dólares até 2030 para se adaptarem aos efeitos do aquecimento global. Um novo relatório da Comissão Global de Adaptação concluiu que a recompensa pode ser quatro vezes maior.
Comentários