Já sabe como usar o seu subsídio de natal? Pode seguir estes conselhos

Comprar, poupar ou investir? Três formas onde poderá dar uso a um subsídio que dada a época é sempre propícia a mais gastos.

E eis que chega aquela altura do ano onde uma quantia extra é depositada na sua conta bancária, caso trabalhe por conta de outrém. O subsídio de natal é na maioria das situações usado para as compras natalícias, mas poderá ser também utilizado para poupar, investir e até mesmo pagar algumas dívidas.

No caso de estar a pensar comprar os presentes para os seus familiares ou amigos defina o valor máximo que vai gastar por prenda e quanto poderá gastar em presentes, fazendo as compras o mais cedo possível. Isto porque, quanto mais se aproxima o natal maior é a procura face à oferta, o que faz com que os preços sejam mais elevados e desse modo irá gastar mais do que o previsto.

Se pretende usar o seu subsídio de natal como uma poupança esta é uma boa altura para o fazer, já que com o início do ano chegam os aumentos mensais por exemplo, nas taxas de juro, crédito habitação, água, luz e telecomunicações.

Pode também investir em si mesmo ou no seu futuro, utilizando o seu subsídio de natal para fazer produtos como o Plano Poupança Reforma (PPR), já que quanto mais cedo começar a poupar para esse objetivo, menor o montante que terá de pôr de lado mensalmente.

O investimento em depósitos com horizonte temporal mais alargado – três ou cinco anos, em fundos de investimentos – de ações, obrigações, mistos, flexíveis, imobiliários, entre outros ou no mercado bolsista, é outra das opções com que poderá usar o seu subsídio de natal.

Recomendadas

Economize: Na diversificação é que está o ganho

Alocar o seu capital investido num só ativo pode ser altamente arriscado porque se perder, pode perder tudo. Por isso, na hora de decidir investir, siga uma estratégia de diversificação para mitigar o risco associado ao investimento.

Motores elétricos: por um mundo melhor —e uma frota sustentável

Segundo um estudo realizado pela LeasePlan, líder nacional no mercado do renting, mais de 50% das suas frotas teriam uma redução de custos se apostassem na eletrificação das suas frotas.

Saiba tudo sobre a nova taxa de juro: a ESTER

Já ouviu falar na nova taxa de juro do Banco Central Europeu, a ESTER? Mesmo que não tenha, certamente que o termo “EURIBOR” não lhe é desconhecido. Pois bem, estima-se que a EURIBOR venha a sofrer reformas com base na estrutura da ESTER. Saiba em que moldes e de que forma isso afetará as suas finanças.
Comentários