“Já se faz notar” chegada da tempestade Helene aos Açores

“A aproximação desta tempestade tropical já se faz notar com a ocorrência de alguma precipitação e um ligeiro aumento da intensidade do vento e da agitação marítima”, sublinha o IPMA.

Ler mais

O Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) assinalou em nota enviada esta manhã à imprensa que a passagem do furacão Helene “já se faz sentir” nos Açores, embora como tempestade tropical.

“A aproximação desta tempestade tropical já se faz notar com a ocorrência de alguma precipitação e um ligeiro aumento da intensidade do vento e da agitação marítima”, sublinha o IPMA.

Às 09:00 dos Açores (menos uma hora que Lisboa), o centro da tempestade localizava-se a 374 quilómetros a oeste-sudoeste da ilha das Flores, no grupo ocidental do arquipélago dos Açores.

“Assim e, de acordo com a trajetória prevista até esta hora, o Helene deverá passar muito perto ou sobre o grupo ocidental na noite de sábado/madrugada de domingo, com uma probabilidade elevada (superior a 90%)”, concretiza o IPMA.

Para o grupo ocidental – Flores e Corvo – mantém-se a previsão de “precipitação forte, vento com rajadas até 150 quilómetros por hora e agitação marítima que poderá atingir os oito a 12 metros”.

No grupo central – Terceira, Graciosa, Pico, Faial e São Jorge – “deverá também verificar-se um agravamento do vento, precipitação e agitação marítima, mas com menor intensidade”, ao passo que o grupo oriental – São Miguel e Santa Maria – “deverá ser o menos afetado pela tempestade”.

Recomendadas
Bruxelas investiga BMW, Daimler e grupo VW por suspeitas de cartel
O cartel “pode ter negado aos consumidores a oportunidade de comprar carros menos poluentes, apesar de a tecnologia estar disponível para os fabricantes”, segundo a comissária europeia para a Concorrência, Margrethe Vestager.
Respostas Rápidas: O que sabemos sobre as tempestades que estão a fazer tremer o mundo?
Helene, Joyce, Florence e Mangkhut: as quatro tempestades que estão a fazer tremer o mundo. Eis o que precisa de saber sobre elas.
Doze concelhos em risco máximo de incêndio
Em risco de incêndio estão os concelhos de Gavião (Portalegre), Mação (Santarém), Proença-a-Nova, Vila Velha do Ródão (Castelo Branco), Pinhel, Figueira de Castelo Rodrigo, Meda, Trancoso (Guarda), Freixo de Espada à Cinta (Bragança), Penedono, Sernancelhe, Tarouca (Viseu).
Comentários