Já viu o “Jogo Económico”? Marcas podem aproveitar ‘boom’ do futebol feminino em Portugal

Há mais clubes a competir, mais praticantes federadas e uma maior atenção mediática: o futebol feminino está a crescer como nunca em Portugal. Mónica Jorge, diretora da Federação Portuguesa de Futebol, veio ao Jogo Económico falar sobre esta evolução.

O futebol feminino está a crescer em Portugal: há mais clubes a competir, mais praticantes federadas e uma maior atenção mediática. Em junho de 2018 foi batido o recorde de jogadoras federadas: existem agora mais de 4700 praticantes, um crescimento superior a 56% nos últimos dois anos.

Nesta edição do Jogo Económico, analisámos e enorme evolução que o futebol feminino teve em Portugal nos últimos anos com a ajuda de Mónica Jorge, diretora da Federação Portuguesa de Futebol, num programa que vai contar com os comentários de Luís Miguel Henrique e João Marcelino, intervenientes moderados pelo jornalista José Carlos Lourinho.

Um estudo do Observatório do Futebol, que analisa as maiores ligas do futebol feminino (Alemanha, EUA, França, Inglaterra e Suécia) mostra que a média de idades tem vindo a subir e ultrapassa os 25 anos. Em Portugal, na época de 2017/18, média era de 21,88 anos. Como se explica esta aposta na participação de jovens jogadoras na Liga? Pode essa aposta aumentar a competitividade do campeonato dentro de quatro a cinco anos? Que papel tem a Federação Portuguesa de Futebol nesse incentivo?

 

Recomendadas

De João Mário a Hulk. Mercado português rende mais de 350 milhões

A transferência de João Felix do SL Benfica para o Atlético Madrid estará iminente envolvendo valores recorde no futebol português. Veja quais foram as outras grandes vendas dos clubes portugueses.

João Félix já está no estádio do Atlético de Madrid com Jorge Mendes

O jogador que marcou 20 golos esta época de águia ao peito num total de 43 jogos pode rumar para o Atlético de Madrid.

Respostas Rápidas: Platini foi detido e Mundial do Qatar em 2022 volta a estar em causa. Saiba porquê

Michel Platini, detido esta terça-feira pelas autoridades francesas, era o presidente da UEFA em 2010, quando o Qatar foi escolhido para organizar o Mundial de 2022. A detenção do antigo dirigente volta colocar a organização do Mundial’2022 em causa, por suspeitas de corrupção. Saiba o que aconteceu e o que está em causa com estas respostas rápidas.
Comentários