JE editors Talks: Saídas Profissionais

Não perca uma conversa sobre as saídas profissionais no contexto das rápidas mudanças que estão a acontecer no mundo do recrutamento, motivadas pela Covid-19. Marque na agenda: 12 de junho às 17h.

 

A pandemia do novo coronavírus mudou a forma como as empresas trabalham, além de ter tido um impacto significativo na economia. Desta forma, é preciso parar e analisar a forma como esta nova realidade afetou as práticas de recrutamento das empresas.

A crescente importância do teletrabalho e o futuro que ele possibilita, bem como as competências técnicas e soft skills necessárias para tirar o melhor partido deste regime de trabalho serão alguns dos temas discutidos nesta JE editors Talk dedicada às saídas profissionais, que é também o tema do caderno especial que acompanha a mais recente edição do Jornal Económico.

Também as instituições de ensino superior estão a adaptar a sua oferta formativa a esta nova realidade, por isso esta iniciativa conta com a participação do ISEG Lisbon School of Economics & Management e da Universidade Portucalense.

Poderá assistir em direto no próximo dia 12 de junho, às 17h, através do site ou do Facebook do Jornal Económico.

 

 

Este conteúdo patrocinado foi produzido em colaboração com a UPT e o ISEG Lisbon School of Economics & Management.

Recomendadas
João Paulo Correia

Novo Banco: PS acusa PSD de querer ganhar na secretaria o que não ganhou com inquérito

“O Partido Socialista esperava da parte do PSD uma posição mais responsável e mais construtiva nesta fase do inquérito. O PSD sente-se tentado a ganhar na secretaria aquilo que não foram os ganhos que espera ter durante os trabalhos do inquérito”, afirmou o deputado socialista João Paulo Correia.

5G: Propostas seguem nos 337,7 milhões no 134.º dia de licitação principal do leilão

Se tivesse terminado esta sexta-feira, o Estado teria arrecadado mais de 422 milhões de euros (incluindo a licitação dos novos entrantes de 84,3 milhões de euros), bastante acima do montante indicativo de 237,9 milhões de euros.

McKinsey defende importância do investimento em ativos intangíveis para o crescimento das empresas

Empresas que estão entre as 10% que mais crescem investem 2,6 vezes mais em ativos intangíveis do que as restantes 50% que menos crescem, revela estudo da consultora. Exemplo de ativos intangíveis são a propriedade intelectual, a pesquisa, a tecnologia e software e o capital humano.
Comentários