JPP acusa Governo da Madeira de “não estar atento” aos interesses do Porto Santo

Em causa está o contrato de concessão estabelecido entre o executivo madeirense e a Porto Santo Line que no entender do partido não é benéfico para o Porto Santo. “O Governo é cúmplice do contrato de concessão que prejudica a população e a economia do Porto Santo”, defende Élvio Sousa.

O Juntos pelo Povo (JPP), numa ação de contacto com a população que se realizou esta manhã, acusou o Governo Regional da Madeira de não estar atento aos interesses da população do Porto Santo. Na origem desta ação está o facto de o contrato de concessão entre a Porto Santo Line e o Governo Regional estar estipulado que, para substituir o navio, quando em fase de manutenção, esta empresa fica obrigada a procurar no mercado internacional um navio que o possa substituir mas os custos desta substituição ficam a cargo do Governo madeirense.

O líder parlamentar do JPP, Élvio Sousa, considera que “a paragem para manutenção do navio, prevista no contrato de concessão, não é benéfica para o Porto Santo”.

“O Governo Regional é cúmplice do contrato de concessão que prejudica a população e a economia do Porto Santo”, denuncia o deputado do JPP.

O deputado prometeu ainda promover iniciativas em defesa dos porto-santenses: “Estamos a preparar uma proposta para que o Governo reveja esta situação, colocando os interesses do Porto Santo em primeiro lugar. O JPP vai promover também um debate potestativo na Assembleia para discutir a situação com o Governo Regional e outro debate mais alargado, juntando diversos intervenientes em defesa dos interesses do Porto Santo”, explicou o líder parlamentar.

A mobilidade e o contrato de concessão de serviço público de transporte regular de passageiros e mercadorias entre a Madeira e o Porto Santo foi o assunto escolhido para a ação de contacto com a população, na Rua Fernão de Ornelas, no Funchal.

Recomendadas

Saiba como preencher uma queixa no livro de reclamações

Há vários meios para reclamar: o contacto direto com o vendedor/prestador de serviços, o envio de carta registada com aviso de receção ou a queixa no livro de reclamações.

Partidos da oposição na Madeira consideram níveis de pobreza na Região elevados

“A economia está a crescer, estamos a produzir mais e a criar mais riqueza, , mas, por outro lado, as desigualdades também estão a agravar-se”, afirma Rui Barreto.

Banana e pesca com quebras de produção na Madeira

Na agricultura da Madeira verificou-se ainda quebras na produção de batata e de cana-de-açúcar . Na pesca o atum e similares, caiu 9,1%, enquanto que o peixe de espada preto subiu 1,7%.
Comentários