Juncker: Portugal não teria tido “crescimento tão robusto” se a Comissão Europeia tivesse aplicado sanções

No Fórum do Banco Central Europeu, o presidente da Comissão Europeia destacou o impacto positivo para a economia portuguesa e espanhola de Bruxelas não ter imposto “sanções económicas prematuramente” há três anos e elogiou o caminho “credível” seguido por Portugal.

Vincent Kessler/Reuters

O presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, disse esta quarta-feira que a flexibilidade da Comissão Europeia ao não impôr sanções há três anos foi essencial para a recuperação da economia portuguesa e espanhola.

“Se há três anos tivéssemos sido rígidos na nossa abordagem das regras orçamentais e aplicado sanções económicas prematuramente, estes países não teriam tido um crescimento robusto e tido sido capazes de corrigir as finanças públicas”, referiu Juncker no último dia da 6ª edição do Fórum do Banco Central Europeu (BCE), em Sintra.

Juncker reconheceu, no entanto, o mérito das políticas adoptadas pelos governos de Portugal e Espanha. “O crédito também vai para os governos destes países que escolheram um caminho credível e colaborativo em benefício dos seus cidadãos”, acrescentou.

Portugal saiu em junho de 2017 do Défice por Procedimento Excessivo, ao fim de oito anos, e após ter reduzido o défice para 2% do Produto Interno Bruto (PIB) em 2016, abaixo da meta dos 3% inscrita no Programa de Estabilidade e Crescimento e ganhando maior flexibilidade na contabilização de algumas despesas públicas no défice e credibilidade nos mercados. Já Bruxelas tirou Espanha do “braço corretivo” em junho deste nao.

No entanto, foi o impacto da flexibilidade das políticas orçamentais na zona euro que o presidente da instituição vincou, apesar de reconhecer ter “recebido críticas de ambos os lados do espectro”.

“Nos últimos quatro anos, esta abordagem flexível permitiu impulsionar a economia europeia em 0,8%”, acrescentou.

O discurso do luxemburguês ocorre na véspera da Cimeira do Conselho Europeu, presidido por Donald Tusk, e que deverá tomar uma decisão final sobre quem lhe irá suceder.

(Atualizado às 11h10)

Ler mais
Recomendadas

Ligações fluviais entre Barreiro e Lisboa não estão asseguradas na manhã e início da tarde deste sábado

Entre as 7h25 e as 14h55, no sentido entre o Barreiro e Lisboa, e entre as 7h55 e às 15h25, no sentido contrário, as ligações não estão asseguradas, estando os horários “sujeitos a confirmação”, diz Soflusa em comunicado.

Irão anuncia captura de petroleiro britânico

Esta situação acontece no mesmo dia em Gibraltar estendeu por trinta dias o período de retenção do petroleiro iraniano Grace 1, retido há quase duas semanas neste território por suspeitas transporte de crude para a Síria.

Azeredo Lopes sabia desde o início do “encobrimento”, diz despacho do MP sobre Tancos

Segundo o despacho do MP, os procuradores do Departamento Central de Investigação e Ação Penal (DCIAP) sustentam que, em agosto de 2017, dois meses antes do “achamento”, Azeredo Lopes teve uma reunião no Ministério da Defesa com o ex-diretor da Polícia Judiciária Militar, Luís Vieira, na qual foi informado – e deu o aval – do plano para a recuperação do material.
Comentários