Kim Jong-Un convida Trump para encontro e presidente dos EUA aceita

O diretor do gabinete de Segurança Nacional da Coreia do Sul, Chung Eui-yong, que liderou a delegação sul-coreana enviada a Washington, entregou a Trump uma carta vinda de Kim Jong-un.

Donald Trump aceitou um convite histórico da Coreia do Norte para se encontrar com o líder norte-coreano Kim Jong-Un em maio. As informações foram avançadas pela rede de televisão CNN que cita um alto funcionário do governo norte-americano.

A reunião foi proposta por Kim Jong-un, que ofereceu a suspensão do programa nuclear e balístico em troca do início de negociações, informaram representantes sul-coreanos em Washington.

O diretor do gabinete de Segurança Nacional da Coreia do Sul, Chung Eui-yong, que liderou a delegação sul-coreana enviada a Washington, entregou a Trump uma carta vinda de Kim Jong-un.

O convite é feito após uma série de avanços pacíficos por parte do ditador norte-coreano. Desde o começo de 2018, os líderes das duas Coreias encontraram-se na fronteira; as atletas da Coreia do Norte participaram no Jogos Olimpícos de Inverno em PyeongChang, condado sul-coreano que fica na província de Gangwon, no nordeste do país; e a irmã de Kim Jong-un encontrou-se com o presidente sul-coreano, Moon Jae.

Desde que Trump chegou à Casa Branca que Kim Jong-un tem vindo a aceitar a pacificação das relações do país com o seu país vizinho e a aceitar um acordo com os Estados Unidos e assim deixar de ser uma ameaça nuclear.

Recomendadas

“Ameaça para a segurança pública”. Como a polícia da Suíça encara Roman Abramovich

Relatório da polícia federal da Suíça aponta para “suspeição de branqueamento de capitais e supostos contactos com organizações criminais” envolvendo o oligarca russo, proprietário do clube de futebol londrino Chelsea FC. Abramovich requereu o estatuto de residente na Suíça mas o pedido foi recusado pelas autoridades.

“Ele deu uma facada e rodou. Para matar, mesmo”. Bolsonaro fala pela primeira vez depois do ataque

”Ele deu uma facada e rodou. Para matar mesmo. O cara sabia o que estava fazendo. Por milímetros não atingiu veias que eu não teria como resistir”, revelou o candidato sobre o ataque de foi alvo.

Despesas dos eurodeputados devem continuar a ser secretas, decide Tribunal de Justiça da UE

Cada deputado ao Parlamento Europeu recebe cerca de 4 mil euros por mês para “despesas gerais” do respetivo gabinete. Tribunal de Justiça da União Europeia rejeita apelo de maior transparência, nomeadamente através da apresentação de faturas das despesas, porque isso colocaria em causa a “privacidade” dos eurodeputados.
Comentários