Laboratório STARLab visa o estudo do Espaço e dos Oceanos

Está previsto um investimento que ronda os 50 milhões de euros nos próximos anos.

STARLab, assim se chama um laboratório luso-chinês para a investigação e desenvolvimento tecnológico para o Espaço e para os Oceanos.

Na assinatura do projecto, presidida pelo Primeiro-Ministro, António Costa, e pelo Presidente chinês, Xi Jinping, estiveram presentes Ricardo Mendes, CEO do Grupo TEKEVER, e Jiancun Gong, director do Instituto de Microssatélites da Academia de Ciências Chinesa.

O STARLab será financiado em partes iguais pelos dois países e, no total, está previsto um investimento que ronda os 50 milhões de euros nos próximos anos e a abertura de centros de investigação e desenvolvimento em Portugal e na China.

O STARLab possui metas a nível científico que passam pelo estudo de fenómenos naturais e os seus potenciais impactos sistémicos e ambientais, e para tal prevê o desenvolvimento de soluções tecnológicas baseadas, nomeadamente, em microssatélites e na sua integração com plataformas robóticas de exploração do mar profundo.

O laboratório conta com a participação do Instituto de Microssatélites e do Instituto de Oceanografia da Academia de Ciências Chinesa. Do lado nacional, a iniciativa está a ser impulsionada pela TEKEVER, com foco na área do Espaço, e pelo CEiiA (Centro de Engenharia e Desenvolvimento de Produto), com foco na área dos Oceanos, e com o suporte do Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, através da Fundação para a Ciência e Tecnologia (FCT).

PCGuia
Ler mais
Recomendadas

YouTube faz retrospetiva de 2018 com os melhores vídeos

A rede social divulgou o já habitual “Rewind” com os maiores destaques do ano.

SoftBank contrata primeira mulher para gerir fundo de investimentos de 100 mil milhões

Kirthiga Reddy, antiga executiva do Facebook India, foi contratada pela japonesa SoftBank para integrar na equipa de Vising Fund, um dos maiores fundos de investimentos tecnológicos do mundo. É a primeira mulher a integrar esta equipa.

Facebook pressionado por eurodeputado a renovar políticas de privacidade

Depois da noticia de que a gigante tecnológica forneceu dados pessoais a terceiras empresas, como a Netflix e Airbnb, e emails do Governo britânico terem sido divulgados, o Parlamento Europeu vem agora pressionar a gigante tecnológica a reforçar as suas políticas de privacidade
Comentários