Laboratórios de análises clínicas faturaram 520 milhões de euros em 2020

“A estimativa para 2021 aponta para que a evolução positiva da faturação deste setor se mantenha, quer devido à continuação da testagem, quer porque a atividade normal destas clínicas deverá entrar em recuperação”, revela a Informa D&B.

Ricardo Moraes/REUTERS

Os laboratórios de análises clínicas tiveram um aumento na faturação em mais de 25% em 2020, segundo os dados da Informa D&B, uma tendência que se verifica desde 2014. Em comunicado, a Informa D&B sublinha que “a faturação dos laboratórios de análises clínicas cresceu 25,6% em 2020, para um total de 520 milhões de euros”.

Segundo a entidade que analisa a informação das declarações anuais entregues pelas empresas, “a tendência de crescimento já se verificava desde 2014, mas a pandemia de Covid-19, nomeadamente a procura de testes para despiste da Covid-19, acelerou os resultados destas empresas, apesar dos meses de confinamento durante os quais foram canceladas ou adiadas diversas outras análises que já estavam agendadas”.

Relativamente ao futuro, é previsível que a faturação dos laboratórios continue a aumentar. “A estimativa para 2021 aponta para que a evolução positiva da faturação deste setor se mantenha, quer devido à continuação da testagem, quer porque a atividade normal destas clínicas deverá entrar em recuperação”, diz a Informa D&B.

“Em 2019 havia 300 em atividade, face aos 458 de 2010, o que corresponde a um recuo médio anual de cerca de 5%”, recorda a Informa D&B.

Por outro lado, o volume de emprego do sector também manteve a tendência de crescimento, situando-se em cerca de seis mil trabalhadores, o que, segundo a Informa D&B, reflete um aumento da dimensão média das empresas, que passou de 12 empregados em 2010 para 20 em 2019.

Por regiões, as zonas com maior concentração de empresas deste sector são Lisboa e o Norte do país, às quais correspondiam 29% e 31% do total de empresas e 38% e 32% do total do emprego, respetivamente.

Recomendadas

Autárquicas: Volt diz ser de “mau tom” que PRR seja utilizado para propaganda eleitoral

O líder do Volt Portugal, que participou numa arruada no Porto, considera que a ideia de que os candidatos socialistas possam ser beneficiados na utilização dos fundos do PRR “é inconcebível” e deve fazer Governo e candidatos refletir.

Reatia, a startup de Leiria que juntou algoritmos à venda de casas

“Somos uma startup de Leiria e, por isso, a nossa sede continua a ser, orgulhosamente, nesta cidade”. É desta forma que o empreendedor português Hugo Venâncio, que em 2019 fundou a tecnológica Reatia, começa por explicar ao Jornal Económico (JE) que as raízes da Beira Litoral não se perdem apesar das provas que esta empresa […]

Salário médio dos CEO subiu 1.304% mais do que um trabalhador médio em 40 anos

Só em 2020, os CEOs das 350 maiores empresas dos Estados Unidos ganharam 24,2 milhões de dólares (20,6 milhões de euros), ou 351 vezes o salário do trabalhador médio.
Comentários